Espelhos no autismo: alicerces para a criação de um estofo imaginário

Autores

  • Marina Bialer

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v19i2p294-308

Palavras-chave:

psicanálise, autismo, gozo, imaginário, espelho.

Resumo

O presente texto aborda o papel dos espelhos como alicerces para a criação de um estofo imaginário no autismo. Por meio da literatura de Tito Mukhopadhyay, demonstra-se a função psíquica do espelho como alicerce para uma alienação imaginária a um outro não humano, evidenciando a viabilidade da invenção de um estofo imaginário no autismo que pode ser o apoio para a construção do ego e da imagem de si próprio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina Bialer

Psicóloga. Doutora em Recherches en Psychopathologie et Psychanalyse pela Université Paris 7 – Denis Diderot e doutora em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Downloads

Publicado

2014-08-21

Como Citar

Bialer, M. (2014). Espelhos no autismo: alicerces para a criação de um estofo imaginário. Estilos Da Clinica, 19(2), 294-308. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v19i2p294-308