Considerações sobre os sofrimentos da infância e a passagem para a idade adulta a partir da experiência das terapias psicanalíticas familiares

Autores

  • Didier Drieu Universidade de Caen Basse-Normandie; Centre d'Etude et de Recherche sur les Risques et les Vulnérabilités
  • Teresa Rebelo Universidade de Rouen; Laboratório de Psicologia e Neurociências; Équipe Traumatismes Individuels et Familiaux

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v20i1p59-75

Resumo

A experiência do trabalho terapêutico familiar enfatiza a influência do sofrimento traumático nas relações pai-filho, especialmente quando estas se constituem sobre os modos de filiação narcisistas em que predomina o que se incorpora por violências transgeracionais e transubjetivas. A abordagem da terapia familiar é hoje bem reconhecida no tratamento de crianças e adolescentes e, apesar de sua difícil aplicação, é muito promissora para famílias que lidam com jovens adultos atraídos pelas lógicas de ruptura (violência, isolamento social, vícios), fornecendo meios para desenvolver dispositivos de trabalho clínico plurifocais apoiados em uma rede interinstitucional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-04-01

Como Citar

Drieu, D., & Rebelo, T. (2015). Considerações sobre os sofrimentos da infância e a passagem para a idade adulta a partir da experiência das terapias psicanalíticas familiares. Estilos Da Clinica, 20(1), 59-75. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v20i1p59-75