Uma beleza congelante: a morte e sexualidade em A Rainha da Neve, de Hans Christian Andersen e suas refigurações

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9826.literartes.2019.163374

Palavras-chave:

A Rainha da Neve, Sexualidade, Morte, Refiguração, Imaginário

Resumo

A bela e congelante Rainha da Neve, do conto homônimo de Hans Christian Andersen (Snedronningen, The Snow Queen, 1844), adquire sobrevidas em outras narrativas, tanto literárias como audiovisuais, permanecendo ainda viva no imaginário contemporâneo. Esse conto andersiano, de tessitura complexa, construído no contexto do romantismo, entre o espiritualismo cristão e o maravilhoso pagão, constitui-se em uma narrativa de formação, um rito de passagem da infância para a vida adulta, do qual depreendemos tanto o prenúncio para a morte, como os primeiros contatos com sexualidade. Este artigo propõe-se a analisar as simbologias depreendidas dessa misteriosa personagem refletidas, ou não, em suas refigurações Jadis, a feiticeira branca de As Crônicas de Nárnia, de C. S. Lewis e Elsa, da animação Frozen: uma aventura congelante (Disney, 2013) com destaque para o protagonismo feminino.   

 

Biografia do Autor

Ligia Regina Maximo Cavalari Menna, Universidade Paulista - UNIP

Doutora em Letras na área de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo ( USP). Mestrado na mesma área. Atualmente é docente e coordenadora auxiliar do Curso de Letras da Universidade Paulista (UNIP). Ministra aulas em cursos presenciais e à distância (EAD). Co-autora da coleção didática para Ensino Fundamental II, intitulada: "Português: uma língua brasileira", juntamente com Regina Figueiredo, editora Leya. Atua principalmente nos seguintes temas: Literatura infantil e juvenil; Literaturas em Língua Portuguesa;Estudos comparados; Literatura e Sociedade; Literatura e Educação; Literatura e Imprensa; Leitura e Formação de leitores, Ensino de Literatura,Literatura e outras linguagens e Teoria literária. Participa dos seguintes Grupos de Pesquisa: Encontros interculturais na EAD: Narrativas de Vida dos diferentes brasis , a frente da linha de pesquisa Diferentes gêneros autobiográficos: sua relevância histórica, social e literária (UNIP Interativa) e Produções literárias e culturais para crianças e jovens II , na linha de pesquisa Literaturas e outras formas de saber

http://lattes.cnpq.br/6923282866494290

Referências

ANDERSEN, Hans Christian. Os contos de Hans Christian Andersen. Edição de Noel Daniel. Direção artística. Andy Disl e Noel Daniel. Londres: Taschen.2017.

ANDERSEN, Hans Christian. Contos de Andersen. Trad. do dinamarquês por Guttorm Hassen. Ilustrações originais de Vilhem Pedersen e Lorenz Frolich. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

ANDERSEN, Hans Christian. The true story of my life. Translated by Mary Howitt. London, 1847.

BECKER, Udo. Dicionário de Símbolos. Tradução Edwino Royer. São Paulo: Paulus, 1999.

BULFINCH, Thomas. O livro da mitologia. Tradução Luciano Alves Meira. São Paulo: Martin Claret, 2013.

CAMPBELL, Joseph. O herói de mil faces. São Paulo: Cultrix, 2004.

CHEVALIER, J e Gheerbrant, A. Dicionário de Símbolos ( mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores e números.)12 ed. Rio de Janeiro. José Olympio, 1982.

COELHO, Nelly Novaes Panorama Histórico da literatura infantil e juvenil. São Paulo: Ática, 1991.

COELHO, Nelly Novaes Literatura infantil: teoria, análise e didática. São Paulo: Moderna, 2006.

FRANCHINI, A. S.; SEGANFREDO, C. As melhores histórias da mitologia nórdica.7. ed. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 2008.

FREUD, Sigmund. “O tema dos três escrínios” (1913). Freud (1911-1913) Observações psicanalíticas sobre um caso de paranoia relatado em autobiografia ("O caso Schreber"), artigos sobre técnica e outros textos: Obras completas, Volume 10. Trad. Jayme Salomão. Imago: Rio de janeiro, 1996.

HILL, Jim. Countdown to Disney "Frozen”: How one simple suggestion broke the ice on the "Snow Queen" 's decades-long story problems. The Jim Hill Media Podcast Network 18 Oct 2013 Disponível em http://jimhillmedia.com/ . Acessado em 10 Ago 2018.

LEDERER, Wolfgang. The kiss of The Snow Queen: Hans Christian Andersen and Man’s redemption by Woman. University of California: Press, Berkeley / Los Angeles / London 1986.

LEWIS, C. S. As crônicas de Nárnia: O leão, a feiticeira e o guarda-roupa. Trad. Paulo Mendes Campos. 4 ed. São Paulo. Martim Fontes, 2010.

MILLER, Jennifer L. "No Sex in Narnia? How Hans Christian Andersen's "Snow Queen" Problematizes C.S. Lewis's The Chronicles of Narnia,"Mythlore: A Journal of J.R.R. Tolkien, C.S. Lewis, Charles Williams, and Mythopoeic Literature: Vol. 28 : No. 1 , Article 8. Available at: https://dc.swosu.edu/mythlore/vol28/iss1/8, . (2009)

REIS, Carlos. “Para uma teoria da figuração. Sobrevidas da personagem ou um conceito em movimento”. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 52, n. 2, p. 129-136, abr.-jun. 2017

REIS, Carlos. Dicionário de estudos narrativos. Lisboa: Almedina, 2018.

SURREL, Jason. Os segredos dos roteiros da Disney. São Paulo: Panda Books, 2009.

WUNENBURGER, Jean-Jacques. O Imaginário. São Paulo: Edições Loyola,2007.

Downloads

Publicado

2019-12-20

Como Citar

MENNA, L. R. M. C. Uma beleza congelante: a morte e sexualidade em A Rainha da Neve, de Hans Christian Andersen e suas refigurações. Literartes, [S. l.], v. 1, n. 11, p. 132-154, 2019. DOI: 10.11606/issn.2316-9826.literartes.2019.163374. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/literartes/article/view/163374. Acesso em: 30 out. 2020.