Representação e estesia nas figuras fantasiosas de O meu pé de laranja lima

Autores

  • Fernanda Viana de Sena Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Sueli Maria Ramos da Silva Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9826.literartes.2020.173102

Palavras-chave:

representação, estesia, figuratividade, texto literário, O meu pé de Laranja Lima, José Mauro de Vasconcelos

Resumo

Este artigo pretende discutir as ideias de representação e estesia no texto literário, em suas manifestações na produção de sentido, partindo dos elementos paratextuais, que indiciam as temáticas envolvidas. Para isso, tomamos como corpus o livro O meu pé de laranja lima (1968), de José Mauro de Vasconcelos, obra em que se evidencia o fenômeno figurativo de modo metafísico. As discussões serão encaminhadas pelas inquietações filosóficas de Foucault (1985) e pelas constituições de sentido de Genette (1987), Greimas (2002; 2008) e Bertrand (2003). A investigação constitui-se por intermédio de trechos do romance infantojuvenil que apresentam o devaneio infantil e mostram as isotopias fantasiosas, determinantes dos valores inseridos no discurso à luz da semiótica discursiva. A problemática é a do fazer sentido, sob o aspecto da percepção e da emoção, advindas da fantasia, em que é possível supor que o aspecto fantasioso coopere com as ações do sujeito do enunciado, levando-o ao deslumbramento das coisas do mundo e recepcionado pelo enunciatário/leitor.

Biografia do Autor

Fernanda Viana de Sena, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutoranda no Programa de Estudos de linguagem – PPGEL/ Universidade Federal de Mato
Grosso do Sul.

Sueli Maria Ramos da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Semiótica e Linguística Geral pelo Fac. de Filosofia, Letras e Ciências Humanas -
USP, Brasil(2012). Professora Adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Brasil.

Referências

BACHELARD, G. A poética do devaneio. Trad. Antônio de Pádua Danesi. SP: Martins Fontes, 1988.
BARROS, Diana Luz Pessoa de. Teoria do Discurso. Fundamentos semióticos. São Paulo: Atual, 1990.
BARROS, Diana Luz Pessoa de. Teoria Semiótica do Texto. 4 ed. São Paulo: Ática, 2002.
BERTRAND, Denis. Caminhos da semiótica literária. Bauru, SP: EDUSC, 2003.
COUTINHO, Afrânio. A Literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Editorial Sul Americana S.A.,1955.
DISCINI, Norma. Intertextualidade e conto maravilhoso. 2 ed. Sao Paulo: Humanitas, 2004.
FIORIN, José Luiz. Elementos de análise do discurso. 3. ed. São Paulo: Contexto, 1992.
FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. Trad. Salma Tannus Muchail. 3. ed. SP: Martins Fontes, 1985.
GENETTE, Gérard. Paratextos editoriais. Tradução Álvaro Faleiros – Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2009.
GREIMAS, A. J. Ensaios de semiótica poética, com estudos sobre Apollinaire, Bataille, Baudelaire, Hugo, Jarry, Malarmé, Michaux, Nerval, Rimbaud, Roubaud. Org. A. J. Greimas. Trad. Heloysa de Lima Dantas. SP: Cultrix, Ed. da Universidade de São Paulo, 1975.
GREIMAS, A. J. Da imperfeição. Trad. Ana Claudia de Oliveira. SP: Hacker Editores, 2002.
HARKOT-DE-LA-TAILLE, Elizabeth. Sentir, Saber, tornar-se: estudo semiótico do percurso entre o sensório e a identidade narrativa. SP: Humanitas: FAPESP, 2016.
MARTINS, Maria Sílvia Cintra. Entre palavras e coisas. SP: Editora UNESP, 2002.
SOUZA, Roberto Acízelo de. Teoria da Literatura. São Paulo: ática, 2007. Série Princípios.
VASCONCELOS, José Mauro de. O Meu Pé de Laranja Lima. São Paulo, Editora Melhoramentos, 2ª edição, 115ª impressão. 192 páginas, 2005.
YLLERA, Alicia. Estilística, Poética e Semiótica literária. Trad. Evelina Verdelho. Coimbra-Portugal: Livraria Almedina, 1979.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

SENA, F. V. de; SILVA, S. M. R. da. Representação e estesia nas figuras fantasiosas de O meu pé de laranja lima. Literartes, [S. l.], v. 1, n. 13, p. 206-223, 2020. DOI: 10.11606/issn.2316-9826.literartes.2020.173102. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/literartes/article/view/173102. Acesso em: 24 out. 2021.