Carolina Maria de Jesus e Clarice Lispector: dois olhares sobre a mulher, a maternidade e a família

  • Fabiana Souza Valadão de Castro Macena Universidade de Goiás (UEG)
Palavras-chave: mulher, família, maternidade, Carolina Maria de Jesus, Clarice Lispector

Resumo

Este estudo pretende iluminar a representação do feminino a partir da ótica daquela que está consagrada pelo cânone, Clarice Lispector (1920-1977), e também daquela que ainda sofre o preconceito acadêmico por exemplificar a tripla subalternidade: mulher, negra, pobre, Carolina Maria de Jesus (1914-1977). Nesse intento, nos propusemos a analisar, da primeira, o romance Perto do Coração Selvagem (LISPECTOR, 1998), e da segunda, o diário Quarto de Despejo (1960). Metodologicamente, amparado pelos estudos comparados (CARVALHAL, 2006), bem como os estudos feministas (SCOTT, 1995), este artigo objetiva contemplar o modo como essas duas autoras, tão díspares, representam a mulher e sua relação com a maternidade e a família.

Biografia do Autor

Fabiana Souza Valadão de Castro Macena, Universidade de Goiás (UEG)

Doutorado em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás (2017) e mestrado em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás (2012). Professora da Universidade Estadual de Goiás - Iporá, atuando principalmente nos seguintes temas: narrativa, relações sociais, sensualidade, amor, história, literatura, gênero e subalternidade.

Publicado
2018-12-27
Como Citar
Macena, F. (2018). Carolina Maria de Jesus e Clarice Lispector: dois olhares sobre a mulher, a maternidade e a família. Magma, (14), 45-64. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1769.mag.2018.154404
Seção
Ensaios temáticos