A capital antifuturista

  • Gabriel Provinzano Gonçalves da Silva Universidade de São Paulo (USP)
Palavras-chave: modernismo brasileiro, Carlos Drummond de Andrade, Alguma Poesia

Resumo

O artigo procura, a partir da análise de um poema menos comentado de Alguma poesia, “Belo Horizonte”, e de um ensaio praticamente esquecido, “Ta'i!”, discutir como em cada um se configura a convivência entre o tradicional e o moderno que marca o primeiro livro de Drummond. Por caminhos diferentes mas com o mesmo sentido, em ambos o Autor se desdobra para adaptar as conquistas modernistas a uma modernização incipiente, o que resulta num processo de requalificação recíproca.

Biografia do Autor

Gabriel Provinzano Gonçalves da Silva, Universidade de São Paulo (USP)

Possui graduação em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP) e é mestrando em Literatura Brasileira pela mesma instituição

Publicado
2018-12-27
Como Citar
Silva, G. (2018). A capital antifuturista. Magma, (14), 165-182. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1769.mag.2018.154412
Seção
Ensaios de Curso