Aquilo que a dobra guarda

Autores

  • Ángela María Cuartas Villalobos Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Geysiane Aparecida de Andrade Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Juliana Maffeis Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2596-2477.i43p73-81

Resumo

Este ensaio criado a seis mãos indaga a participação da instância crítica no processo de criação literária. A princípio, nosso diálogo é provocado por algumas reflexões de Agamben acerca da potência-de-não entranhada no ato de criação, que por sua vez foram provocadas por uma conferência de Deleuze sobre o ato de criação como ato de resistência. Porém, o principal catalisador da indagação e da construção do ensaio é a observação do nosso percurso individual e coletivo, como escritoras que transitam entre o âmbito acadêmico, o âmbito literário e outros espaços ou ritmos envolvidos na criação. Para a composição do texto, usamos o método de montagem, por meio do contraponto de imagens, fragmentos das nossas narrativas do processo, reflexões teóricas e leituras suscitadas pelo desenrolar do diálogo na tela. O procedimento tenta representar o movimento, a complexidade, a descontinuidade e as fraturas do processo criativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ángela María Cuartas Villalobos, Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutoranda em Escrita Criativa, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Geysiane Aparecida de Andrade, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutoranda em Escrita Criativa, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Juliana Maffeis, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutoranda em Escrita Criativa, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O fogo e o relato. Ensaios sobre criação, escrita, arte e livros. Tradução de Andrea Santurbano e Patricia Peterle. São Paulo: Boitempo Editorial, 2018.

AGAMBEN, Giorgio. Bartleby ou da contingência. São Paulo: Autêntica, 2015.

AGAMBEN, Giorgio. Bartleby: escrita da potência. Trad. Manuel Rodrigues e Pedro A. H. Paixão. Lisboa: Editora Assírio & Alvim, 2007.

BENJAMIN, Walter. Passagens. São Paulo: Imprensa Oficial/Ed. UFMG, 2006.

BENJAMIN, Walter. O narrador. Considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: BENJAMIN, WALTER. Obras Escolhidas. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1985, p. 197-221

BORGES, Jorge Luis. Esse ofício do verso. Trad. José Marcos Macedo. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

CIRLOT, Victoria. El oído interior. Acerca del encuentro de Cristina Campo, María Zambrano y Marius Schneider. Acta poética. v. 35, n. 2, 2014, p. 169-186. Disponível em: <https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S018530821472424>. Acesso em: 25 mar. 2021.

COMPAGNON, Antoine. O trabalho da citação. Minas Gerais: UFMG, 2007.

DELEUZE, Gilles. A Dobra: Leibniz e o Barroco. Campinas, SP: Papirus, 2007.

DELEUZE, Gilles. O ato de criação. Folha de S. Paulo, São Paulo, 27 jun. 1999. Trad. José Carlos Macedo. Disponível em: <https://lapea.furg.br/images/stories/Oficina_de_video/o%20ato%20de%20criao%20-%20gilles%20deleuze.pdf>. Acesso em: 25 mar. 2021.

HERNÁNDEZ, Felisberto. Explicação falsa dos meus contos. In: HERNÁNDEZ, FELISBERTO. O cavalo perdido e outras histórias. São Paulo: Cosac Naify, 2004, p. 211-212.

LEVRERO, Mario. Entrevista imaginária com Mario Levrero. In: LEVRERO, MARIO. Deixa comigo. Trad. Joca Reiners Terron. Rio de Janeiro: Rocco, 2013, p. 119-145.

OATES, Joyce Carol. Running and Writing. In: OATES, JOYCE CAROL. The Faith of a Writer: Life, Craft, Art. London: PerfectBound, 2003, p. 29-36

SALLES, Cecilia. Gesto inacabado: Processo de criação artística. São Paulo, Fapesp. Editora: Annablume, 2008.

SANTIAGO, Silviano. Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

SARAMAGO, José. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 1 de novembro de 2008 [Entrevista de Bolívar Torres].

SZYMBORSKA, Wislawa. O poeta e o mundo – discurso do Nobel 1996. In: SZYMBORSKA, WISŁAWA. Um amor feliz. Seleção, tradução e prefácio de Regina Przybycien. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p. 323-325.

TADIÉ, Jean-Yves. A crítica literária no século XX. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1992.

VILA-MATAS, Enrique. Diário volúvel. Trad. Jorge Fallorca. Lisboa: Teorema, 2010.

VILA-MATAS, Enrique. Bartleby e companhia. Trad. Maria Carolina de Araújo e Josely Vianna Baptista. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

Downloads

Publicado

2021-07-26

Como Citar

Villalobos, Ángela M. C. ., Andrade, G. A. de, & Maffeis, J. (2021). Aquilo que a dobra guarda. Manuscrítica: Revista De Crítica Genética, (43), 73-81. https://doi.org/10.11606/issn.2596-2477.i43p73-81