Dança e criação artística em rede pela ótica da crítica de processo: procedimentos compositivos e pedagógicos com mediação tecnológica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2596-2477.i47p69-81

Palavras-chave:

Crítica de Processo, Pedagogia da ubiquidade, Dança em vídeo

Resumo

Esta investigação se delineia a partir de reflexões sobre os modos producentes da obra coreográfica em vídeo “Interlocuções em Movimento” (2021), criada e ‘coreoeditada’ pela autora-coreógrafa para a Téssera Companhia de Dança da Universidade Federal do Paraná e intenta desvelar, por meio da inventariação de seu processo construtivo, aspectos da pedagogia da ubiquidade. Parte-se da abordagem metodológica da crítica de processo proposta por Cecília Almeida Salles (2000; 2006; 2007; 2013; 2018), por suas implicações no trajeto reflexivo convidativo, para pensar os índices vestigiais, anotações e relações complexas que entremeiam a obra de arte em sua gênese. Tais construções reflexivas são permeadas por apontamentos que denunciam a presença da interdisciplinaridade na/da obra videodançante e indicam o [re]conhecimento de um funcionamento criativo não linear, contextualizado e dinâmico, tornando evidente a produção artística feminina no ambiente em questão e cujo alcance se redimensiona quando na relação dança-tecnologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helen de Aguiar, Universidade Federal do Paraná

Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), vinculada à linha de pesquisa LICORES – Linguagem, Corpo e Estética na Educação e Membro do Grupo de Pesquisa Labelit - Laboratório de Estudos em Educação, Linguagem e Teatralidades (UFPR/CNPq).

Referências

AGUIAR, H. C. Emoção e interação em cena. Curitiba: Appris, 2019

AGUIAR, H. C. Interlocuções em movimento. Curitiba, 2021. Videodança (08:35 min.): son.; color. Disponível em: <https://youtu.be/6zskG95cDxc>. Acesso em: 10 mar 2022.

LE BRETON, D. Antropologia dos sentidos. Petrópolis: Editora Vozes, 2016.

SALLES, C. A. Redes da criação: Construção da obra de arte. Vinhedo: Editora Horizonte, 2006.

SALLES, C. A. Crítica genética: uma (nova) introdução — fundamentos dos estudos genéticos sobre o processo de criação artística. São Paulo: EDUC, 2000.

SALLES, C. A. Gesto inacabado: processo de criação artística. São Paulo: Intermeios, 2013.

SALLES, C. A. Acompanhamento de processos de criação: algumas reflexões. Revista Aspas. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/aspas/article/view/139967/139691>. Acesso em: 10 fev. 2022.

SALLES, C. A; CARDOSO, D. R. Crítica Genética em Expansão. Disponível em: <http://cienciaecultura.bvs.br/pdf/cic/v59n1/a19v59n1.pdf >.Acesso em: 10 fev. 2022.

SANTAELLA, L. Corpo e comunicação: sintoma da cultura. São Paulo: Paulus, 2004.

SANTAELLA, L. Percepção: fenomenologia, ecologia, semiótica. São Paulo: Cengage Learning, 2021.

Downloads

Publicado

2022-12-22

Como Citar

Aguiar, H. de. (2022). Dança e criação artística em rede pela ótica da crítica de processo: procedimentos compositivos e pedagógicos com mediação tecnológica. Manuscrítica: Revista De Crítica Genética, (47), 69-81. https://doi.org/10.11606/issn.2596-2477.i47p69-81