O emprego do aplicativo móvel Duolingo no processo de ensino e aprendizagem de alemão como língua estrangeira em contexto de ensino presencial universitário

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/1982-8837244278

Palavras-chave:

App Duolingo, Aprendizagem de alemão com Duolingo, App Duolingo como recurso complementar ao ensino presencial

Resumo

O presente estudo retrata uma experiência com uso do aplicativo móvel Duolingo no processo de ensino e aprendizagem de alemão como língua estrangeira em contexto de ensino presencial universitário e discute o emprego do App como recurso complementar para aumentar o contato dos aprendizes com o idioma e expandir o vocabulário. A pesquisa empírica parte da hipótese de que por ser um recurso gratuito, interativo, gamificado e que permite acesso ilimitado aos conteúdos, o aplicativo móvel Duolingo pode contribuir com a regularidade do contato com a língua e consequentemente ampliar o vocabulário dos aprendizes. Como instrumento de coleta de dados utilizamos os relatórios individuais de atividade, os quais foram gerados pela Plataforma Duolingo para Escolas. A pesquisa contribui para esclarecer as questões que se colocam acerca da utilização dos aplicativos móveis no ensino de língua estrangeira. Os resultados encontrados apontam que Duolingo é uma ferramenta que pode ser empregada para complementar o ensino presencial de alemão, auxiliando no processo de aquisição de vocabulário. O trabalho aponta para a importância dos Apps como ferramentas de apoio ao processo de aprendizagem de alemão e deixa claro a adesão massiva dos aprendizes ao uso de Apps como recurso complementar ao ensino presencial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARROS, Thiago. Como usar o Duolingo para estudar e aprender idiomas no celular. TechTudo, s.d. https://www.techtudo.com.br/dicas-e-tutoriais / noticia /2015/02/como-usar-o-duolingo-para-estudar-e-aprender-idiomas-no-celular.html. (01/02/ 2017).

BIEBIGHÄUSER, Katrin. DaF-Lernen mit Apps. Zur Einleitung der Sondernummer. German as a Foreign Language, 2015, p. 1-15.

BÖHM, Stephan; CONSTANTINE, Georges Philip. Impact of contextuality on mobile learning acceptance: An empirical study based on a language learning app. Interactive Technology and Smart Education, v. 13, 2016, p. 107-122.

BRAUN, Birgit et al. DaF kompakt neu A1: Kurs- und Übungsbuch. Stuttgart: Klett, 2016.

CHINNERY, George. M. Going to the MALL: Mobile assisted language learning. Language Learning & Technology, v. 10, n. 1, 2006, p. 9-16. https://scholarspace.manoa.hawaii.edu/bitstream/10125/44040/1/10_01_emerging.pdf. (21/02/2017).

CONSELHO DA EUROPA. Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas. Edições ASA, Lisboa, 2001.

ELLIS, Rod. Corrective Feedback and Teacher Development. L2 Journal, University of California, Berkeley, v. 1, n. 1, 2009. https://escholarship .org/uc/item/2504d6w3. (15/04/2018).

ESPINOSA, Ruth S. Contreras. Juegos digitales y gamificación aplicados en el ámbito de la educación. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia (RIED), v. 19, n. 2, 2016, p. 27-33.

FALK, Simon. Marburg. Ap(p)ropos mobil – Über den Einsatz von Apps im DaF-Unterricht. In: German as a Foreign Language – GFL, 2015, p. 15-31.

FREDERKING, Volker; KROMMER, Axel; MAIWALD, Klaus. Mediendidaktik Deutsch. Eine Einführung. 3., völlig neu bearbeitete und erweiterte Auflage. Berlin, Erich Schmidt, 2018.

KAPP, Karl M. The Gamification of Learning and Instruction: Game-based Methods and Strategies for Training and Education. San Francisco, Pfeiffer, 2012.

KIM, Heyoung; KWON, Yeonhee. Exploring smartphone applications for effective mobile-assisted language learning. Multimedia-Assisted Language Learning, 2012, p. 31-57.

KRASHEN, Stephen. Does Duolingo “Trump” University-Level Language Learning?, The International Journal of Foreign Language Teaching, 2014, p. 13-15.

KRASHEN, Stephen. The Input Hypothesis: Issues and Implications. Beverly Hills, Laredo Publishing Company, 1988.

KUKULSKA-HULME, Agnes. Will mobile learning change language learning? ReCALL, v. 21, Issue 2, 2009, p. 157-165. https://www.researchgate.net/publication/ 42798542_Will_mobile_learning_change_language_learning. (18/05/2018).

LEFFA, V. J. Gamificação adaptativa para o ensino de línguas. Anais do Congresso Ibero-Americano de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação. Buenos Aires, 2014, p.1-12.

MARBURG, Susanne Krauß. Apps for learning German vocabulary - What does the digital landscape look like?. German as a Foreign Language, n. 2, 2015, p.15-31.

MARQUES-SCHÄFER, Gabriela. Competência Midiática e Tecnologias Móveis: Desafios e Perspectivas para a Formação de Professores de Línguas Estrangeiras. Anais do 1º Congresso da Associação Brasileira de Estudos Germanísticos (ABEG), Universidade de São Paulo, São Paulo, 9 de novembro de 2015.

MARQUES-SCHÄFER Gabriela; MENDES, Bárbara; ARAÚJO, Jade Nunes. Como avaliar material didático digital. Análises e reflexões para professores. Projekt - Revista dos Professores de Alemão no Brasil, n. 52, 2014, p. 6-10.

MCLUHAN, Herbert Marshall. Os meios de comunicação como extensões do homem. Tradução de Décio Pignatari. São Paulo, Brasil, Cultrix, 2012.

MELO, Telma de Macedo. Da percepção à performance: um estudo do emprego do aplicativo móvel Duolingo no processo de ensino e aprendizagem de alemão como língua estrangeira em contexto universitário. Dissertação de Mestrado em Língua e Literatura Alemã) – FFLCH/USP, São Paulo, 2019.

MONTEIRO, Gilson Vieira. Ecossistemas comunicacionais: os dispositivos móveis como extensão do corpo humano. In: CANAVILHAS, João; SATUF, Ivan (Orgs.). Jornalismo para Dispositivos Móveis: produção, distribuição e consumo. Covilhã, Portugal: Livros LabCom, 2015, p. 43-60.

MUNDAY, Pilar. The case for using DUOLINGO as part of the language classroom experience. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, v. 19, n. 1, 2016, p. 83-101.

PAIVA, Vera Lucia Menezes de Oliveira e. Ensino de vocabulário. In: DUTRA, Deise P.; MELLO, Heliana. A gramática e o vocabulário no ensino de inglês: novas perspectivas. Belo Horizonte, Faculdade de Letras/UFMG, 2004, p. 71-101. (Estudos Lingüísticos; 7).

PRENSKY, Marc. Aprendizagem baseada em jogos digitais. Tradução de Eric Yamagute. São Paulo, Ed. Senac São Paulo, 2012.

SCHRÖDER, Thorsten. Beim Endgegner fließend Spanisch sprechen. Zeit On-line, 15 fev. 2014. https://www.zeit.de/digital/mobil/2014-02/duolingo-app-fremdsprache. (16/01/2017).

SOUZA, Carlos Fabiano. Aprendizagem sem distância: tecnologia digital móvel no ensino de língua inglesa. Texto Livre: Linguagem e Tecnologia, [S.l.], v. 8, n.1, 2015, p. 39-50. http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/6497. (08/07/2018).

TECHMAN, Melissa. Duolingo for Schools, Reviewed. Tech Knowledge, 2015. https://www.slj.com/?detailStory=slj-reviews-duolingo-for-schools-test-drive. (17/01/2017).

UNESCO. Diretrizes de políticas para a aprendizagem móvel, 2014. http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/about-this-office/singleview/news/diretrizes_de_ politicas_da_unesco_para_a_aprendizagem_move/. (09/02/2017).

UNESCO. Mobile Learning For Teachers: Global Themes. Working Paper Series on Mobile Learning, 2012. https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000216452 eng. (18/02/2018).

VESSELINOV, Roumen; GREGO, John. Duolingo Effectiveness Study. Final Report, 2012. http://static.duolingo.com/s3/DuolingoReport_Final.pdf. (19/01/2017).

Downloads

Publicado

2021-01-01

Como Citar

MELO, T. de M. O emprego do aplicativo móvel Duolingo no processo de ensino e aprendizagem de alemão como língua estrangeira em contexto de ensino presencial universitário. Pandaemonium Germanicum, São Paulo, v. 24, n. 42, p. 78-107, 2021. DOI: 10.11606/1982-8837244278. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/pg/article/view/176708. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Ensino e aprendizagem de alemão com mídias digitais