As Muitas Faces do Exílio de um “Judeu Sem Deus”: A Herança Paterna de Sigmund Freud

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/1982-88372444296

Palavras-chave:

Herança paterna, Judaísmo, “Judeidade”, Religião

Resumo

Em sua Selbstdarstellung (2011 [1924]), Sigmund Freud (1856-1939), ressalta as origens judaicas e, nessa linhagem, o êxodo que marca sua família: percurso que desemboca em Viena e, posteriormente, em Londres, estação final. As marcas do exílio nos escritos freudianos reforçam o vínculo com o judaísmo, índice da herança paterna. O episódio do “gorro na lama”, descrito na Interpretação dos Sonhos (2019 [1900]), como a humilhação do pai de Freud, Jakob, aos olhos da criança que aspirava a sonhos de grandeza, assim como o presente do Velho Testamento (Derrida 2001; Yerushalmi 1992), abrem portas para outras questões centrais nas teorias freudianas. O pai, a “judeidade” (Fuks 2000), remetem às reflexões de Freud sobre religião, notadamente nas obras Totem & Tabu (2012 [1913]), O Futuro de uma ilusão (2014 [1927]), Moisés e o Monoteísmo (2018 [1939]). Dessas, o Moisés de Freud é o texto derradeiro, cujas raízes ligam-se ao povo judeu. Outros temas, como o anti-semitismo, as vantagens das “teses universalistas” da intelectualidade judaica, (Said 2004), o isolamento e a resistência (Gay 1990) são igualmente importantes para os estudos psicanalíticos. Ser judeu é ser o Outro, e por isso, transitar pelo (des)território psicanalítico: da pulsão, da escuta das histéricas, da sexualidade infantil, da insistência da neurose, do valor do sonho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo. v.2: a Experiência Vivida. 5. ed. Trad. Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2019 [1949].

BERGEL, Marli. ‘Alguns dos vocabulários mais usados em psicanálise’. In: FEDERAÇÃO BRASILEIRA DE PSICANÁLISE. Esboços psicanalíticos. Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: https://www.febrapsi.org/wp-content/uploads/2017/02/ambivalencia--marli-bergel.pdf (02/02/2021).

BERTIN, Célia. A mulher em Viena nos tempos de Freud. Trad. Marina Appenzeller. Campinas; São Paulo: Papirus, 1990.

BETTELHEIM, B. A Viena de Freud e outros ensaios. Rio de Janeiro: Campus, 1991.

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Trad. Claudia de Morais Rego. Relume Dumará: Rio de Janeiro, 2001.

EDMUNDSON, Mark. A morte de Freud: o legado de seus últimos dias. Trad. Luciano Trigo. Rio de Janeiro: Odisseia Editorial, 2009.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade: a vontade de saber. v. I. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

FREUD, Sigmund. Estudos sobre a histeria. Em co-autoria com Josef Breuer. Obras completas. v. 2. Trad. Laura Barreto. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2016. [1893-1895].

FREUD, Sigmund. A interpretação dos sonhos. Obras completas. v. 4. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2019 [1900].

FREUD, Sigmund. Totem e Tabu, Contribuição à história do movimento psicanalítico e outros textos. Obras completas. v. 11. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2012 [1912-1914].

FREUD, Sigmund. Psicologia das massas e análise do eu e outros textos. Obras completas. v. 15. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011 [1920-1923].

FREUD, Sigmund. O eu e o id, “Autobiografia” e outros textos. Obras completas. v. 16. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011 [1923-1925].

FREUD, Sigmund. O futuro de uma ilusão e outros textos. Obras completas. v. 17. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2014 [1926-1929].

FREUD, Sigmund. Moisés e o monoteísmo, Compêndio de psicanálise e outros textos. Obras completas. v. 19. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2018 [1937-1939].

FUKS, Betty B. Freud e a Judeidade: a vocação do exílio. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

GAY, Peter. Freud: uma vida para o nosso tempo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

GAY, Peter. Sigmund Freud: um alemão e seus dissabores. In: SOUZA, Paulo César et alii (Orgs.). Sigmund Freud e O Gabinete do Dr Lacan. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1990, 1-71.

HOUAISS, Antonio. Grande Dicionário Houaiss de Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.

LE RIDER, Jacques. A Modernidade Vienense e as crises de identidade. Trad. Elena Gaidano. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1993.

MCCLINTOCK, Anne. Couro imperial: raça, gênero e sexualidade no embate colonial. Trad. Plínio Dentzein. Campinas: Editora da Unicamp, 2010.

MOLINA, José Arthur. O que Freud dizia sobre as mulheres. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Ciências e Letras de Assis, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2010.

NAZÁRIO, Luiz. O Expressionismo e o Nazismo. In: GUINSBURG, J. (Org.). O Expressionismo. São Paulo: Perspectiva, 2002, 49-720.

NERI, Regina. A Psicanálise e o Feminino: um Horizonte da Modernidade. Novas Configurações da Diferença Sexual. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

ROUDINESCO, Elisabeth. Por que a Psicanálise? Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

SAID, Edward W. Freud e os não-europeus. Trad. Arlene Clemesha. São Paulo: Boitempo, 2004.

SCHORSKE, Carl E. Viena fin-de-siècle: política e cultura. Trad. Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

SOUZA, Paulo César. Uma visita à casa de Freud. In: SOUZA, Paulo César et alii (Orgs.). Sigmund Freud e O Gabinete do Dr Lacan. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1990, 131-141.

TAVARES, P. H. M. B. Freud e Schnitzler: sonho sujeito ao olhar. São Paulo: Annablume, 2007.

YERUSHALMI, Yosef Hayim. O moisés de Freud: judaísmo terminável e interminável. Rio de Janeiro: Imago, 1992.

ZEYRINGER, Klaus; GOLLNER, Helmut. Áustria: uma história literária. Literatura, cultura e sociedade desde 1650. Trad. e Adaptação Ruth Bohunovsky. Curitiba, Paraná: Editora UFPR, 2019.

ZWEIG, Stefan. Autobiografia: o mundo de ontem. Trad. Kristina Michahelles. Prefácio e Posfácio: Alberto Dines. Rio de Janeiro: Zahar, 2014 [1942].

Downloads

Publicado

2021-10-04

Como Citar

WELS, Érica S. As Muitas Faces do Exílio de um “Judeu Sem Deus”: A Herança Paterna de Sigmund Freud. Pandaemonium Germanicum, São Paulo, v. 24, n. 44, p. 296-313, 2021. DOI: 10.11606/1982-88372444296. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/pg/article/view/187705. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: A Áustria e sua literatura no Brasil e no mundo