RAUL PREBISCH E O LIVRE COMÉRCIO: AS ORIGENS DO PENSAMENTO ECONÔMICO ESTRUTURALISTA

Autores

  • Márcio Bobik Braga Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade; Programa Interunidades em Integração da América Latina. Universidade de São Paulo.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2008.82322

Palavras-chave:

América Latina, Politica econômica, Integração econômica.

Resumo

Passadas seis décadas de sua existência, a Comissão Econômica para a América Latina e Caribe — Cepal ainda é conhecida por ter defendido políticas contrárias ao livre comércio. Este trabalho tem como objetivo analisar os primeiros documentos da Comissão, elaborados por Raul Prebisch. A partir dessa análise, pode-se concluir que Prebisch jamais se opôs ao livre comércio. Pelo contrário, desejava uma maior participação da América Latina no comércio internacional, não apenas de bens primários, mas também de manufaturas. Prebisch também reconhecia as limitações do processo de substituição de importações e considerava a integração econômica regional como uma forma de superar tais limitações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-12-01

Como Citar

Braga, M. B. (2008). RAUL PREBISCH E O LIVRE COMÉRCIO: AS ORIGENS DO PENSAMENTO ECONÔMICO ESTRUTURALISTA. Brazilian Journal of Latin American Studies, 7(13), 76-99. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2008.82322

Edição

Seção

Artigos