Mapa, conceitos e travessia: as práticas integrativas e complementares em saúde no Sistema Único de Saúde

Autores

  • Laura Iumi Nobre Ota Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte, São Paulo, SP, Brasil
  • Yara Maria de Carvalho Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte, São Paulo, SP, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.2023e37182910

Palavras-chave:

Formação em saúde, Práticas de saúde, Educação Física e saúde, CECCO

Resumo

As práticas integrativas e complementares em saúde (PICS) são uma realidade no cuidado no Sistema Único de Saúde (SUS) e nesses últimos anos têm se expandido. Esta pesquisa qualitativa, a partir de entrevistas individuais, resultou em um mapa que mostra autores e obras usados como referencial por profissionais de saúde responsáveis pelas PICS no Centro de Convivência e Cooperativa (CECCO) Parque Ibirapuera, para orientar as práticas. São conexões, conceitos, sentidos e significados atribuídos às PICS e às relações com a saúde. Em diálogo com Antônio Cândido e ao encontro de Guimarães Rosa discutimos a formação em saúde problematizando o pensar sobre a prática. Os encontros e desencontros acontecem nos diferentes caminhos e instigam minha travessia, sem começo e sem fim.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Tesser CD, Sousa IMC. Atenção primária, atenção psicossocial, práticas integrativas e complementares e suas afinidades eletivas. Saude soc. 2012;21(2): 336-350. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902012000200008&lng=en&nrm=iso.

Telesi Júnior E. Práticas integrativas e complementares em saúde, uma nova eficácia para o SUS. Estud Av. 2016;30 (86):99-112. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142016000100099&lng=en&nrm=iso.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS: atitude de ampliação no acesso. Brasília: Ministério da Saúde; 2015. 98 p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_praticas_integrativas_complementares_sus_2ed_1_reimp.pdf.

Azevedo E, Pelicioni MCF. Práticas integrativas e complementares de desafios para a educação. Trab Educ Saúde. 2011; 9(3):361-78. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1981-77462011000300002.

Carvalho JLS, Nóbrega MPSS. Práticas integrativas e complementares como recurso de saúde mental na Atenção Básica. Rev Gaúcha Enferm. 2017; 38(4): e2017-0014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2017.04.2017-0014.

Nascimento MC, Romano VF, Chazan ACS, Quaresma CH. Formação em práticas integrativas e complementares em saúde: desafios para as universidades públicas. Trab Educ Saúde. 2018;16(2):751-72. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00130.

Santos MC, Tesser CD. Um método para a implantação e promoção de acesso às Práticas Integrativas e Complementares na Atenção Primária à Saúde. Ciênc Saúde Coletiva. 2012;17(11):3011-3024. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232012001100018.

Lima KMSV, Silva KL, Tesser, CD. Práticas integrativas e complementares e relação com promoção da saúde: experiência de um serviço municipal de saúde. Interface. 2014;18(49):261-272. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832014000200261&lng=en&nrm=iso.

Losso LN, Freitas SFT. Avaliação do grau da implantação das práticas integrativas e complementares na Atenção Básica em Santa Catarina, Brasil. Saúde Debate. 2017;41(Esp 3):171-87. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0103-11042017S313.

Sousa IMC, Bodstein RCA, Tesser CD, Santos FAS, Hortale VA. Práticas integrativas e complementares: oferta e produção de atendimentos no SUS e em municípios selecionados. Cad Saúde Pública. 2012;; 28(11):2143-2154. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2012001100014.

Contatore OA, Barros NF, Durval MR, Barrio PCCC, Coutinho BD, Santos JA, et al. Uso, cuidado e política das práticas integrativas e complementares na Atenção Primária à Saúde. Ciênc Saúde Coletiva. 2015; 20(10): 263-73. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-812320152010.00312015.

Feuerwerker LCM. Micropolítica e Saúde: produção do cuidado, gestão e formação. Porto Alegre: Rede UNIDA; 2014. Capítulo 5, Micropolítica e a formação de profissionais de saúde; p. 119-60.

Carvalho YM, Ceccim RB. Formação e Educação em Saúde: aprendizados com a saúde coletiva. In: Campos GWS, Minayo MCS, Akerman M, Drumond Júnior M, Carvalho YM, organizadores. Tratado de Saúde Coletiva. 2. ed. São Paulo: Hucitec Editora; 2012. p. 137-70.

Bondía JL. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Rev Bras Educ. 2002;(19):20-8. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782002000100003&lng=en&nrm=iso.

Mendes VM, Carvalho YM, Brandão FFF. Nós, com os outros e o SUS: uma perspectiva micropolítica do cuidado para além da atenção básica. In: Wachs F, Almeida UR, Brandão FFF, organizadores. Educação Física e Saúde Coletiva: cenários, experiências e artefatos culturais. Porto Alegre: Rede UNIDA; 2016. p. 23-45.

Maeder BJ, Holanda AF, Costa II. Pesquisa qualitativa e fenomenológica em saúde mental: mapeamento como proposta de método descritivo. Psic Teor Pesq. 2019;(35):e35439. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102.3772e35439.

São Paulo (município). Secretaria Municipal de Saúde. Gabinete do Secretário. Portaria no 964 de 25 de out de 2018. Regulamenta os Centros de Convivência e Cooperativa e estabelece diretrizes para o seu funcionamento. Diário Oficial da Cidade de São Paulo. 27 out 2018; 63(204):19-20. Disponível em: https://www.imprensaoficial.com.br/Certificacao/GatewayCertificaPDF.aspx?notarizacaoID=7d9556a6-258d-425d-8552-fe9a6e9c3dd7.

Sade C, Barros LMR, Melo JJM, Passos E. Christian Sade Leticia Maria Renault de Barros Jorge José Maciel Melo Eduardo Passos. Ciênc Saúde Coletiva. 2013;18(10):2813-24. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232013001000006

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Glossário temático: práticas integrativas e complementares em saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2018. 180 p. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/marco/12/glossario-tematico.pdf.

Práticas Integrativas e Complementares em Saúde. Práticas Corporais e Meditativas/Atividade Física na CRS SUDESTE - STS Jabaquara/Vila Mariana. 2019. Disponível em: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/atencao_basica/index.php?p=236738.

Chang J, Leal L. Saúde longevidade. Caderno 1. São Paulo: Associação Tai Chi Pai Lin/Espaço Luz; 2015.

Candido A. Vários Escritos. 4ª ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Ouro sobre Azul/Duas Cidades; 2004. p. 169-91.

Rosa JG. Grande Sertão: Veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; 2006.

Candido, A. Formação da Literatura Brasileira: momentos decisivos, 6ª ed. Belo Horizonte: Itatiaia Ltda.; 2000. p. 23-37.

Carvalho MS, Merhy EE, Sousa MF. Repensando as políticas de Saúde no Brasil: Educação Permanente em Saúde centrada no encontro e no saber da experiência. Interface (Botucatu). 2019;23:e190211. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832019000100285&lng=en&nrm=iso.

Calvino I. Por que ler os clássicos. São Paulo: Companhia das Letras; 1993. p. 9-16.

Galetti MC. Conselho Regional de Psicologia de São Paulo. Centros de Convivência e Cooperativa: Cadernos Temáticos CRP SP. São Paulo: CRP - SP; 2015. p. 19-22.

Merhy EE, Gomes MPC, Silva E.; Santos MFL, Cruz KT, Franco TB. Redes Vivas: multiplicidades girando as existências, sinais da rua. Implicações para a produção do cuidado e a produção do conhecimento em saúde. Divulg Saúde Debate. 2014;(52):153-64. Disponível em: http://cebes.org.br/site/wp-content/uploads/2014/12/Divulgacao-52.pdf.

Lopes IC. Conselho Regional de Psicologia de São Paulo. Centros de Convivência e Cooperativa: Cadernos Temáticos CRP SP. São Paulo: CRP – SP; 2015. p. 27-32.

Lopes IC. Centros de Convivência e Cooperativa: reinventando com arte agenciamentos de vida. In: Fernandes MIA, Scarcelli IR, Costa ES, organizadores. Fim de século: ainda manicômios? São Paulo: Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo; 1999. p. 139-62.

Downloads

Publicado

2023-11-17

Como Citar

Ota, L. I. N., & Carvalho, Y. M. de. (2023). Mapa, conceitos e travessia: as práticas integrativas e complementares em saúde no Sistema Único de Saúde. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 37, e37182910. https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.2023e37182910

Edição

Seção

Artigos