A revogação do Bill Aberdeen e a Lei do Ventre Livre

Um acordo antiescravista internacional 1864-1872

Palavras-chave: escravidão, Questão Christie, Bill Aberdeen, Lei do Ventre-Livre, British and Foreign Anti-Slavery Society

Resumo

Na década de 1860, agentes do governo brasileiro fizeram um acordo com a British and Foreign Anti-Slavery Society. Esta organização atuaria pela revogação da Lei Aberdeen e pelo restabelecimento das relações diplomáticas entre o Brasil e a Grã-Bretanha. Em contrapartida, o governo brasileiro adotaria medidas emancipacionistas. Esse acordo mostra que a Lei do Ventre Livre (1871) não foi uma decisão de caráter exclusivamente nacional e esteve relacionada a outros eventos políticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique Antonio Ré, Departamento de História da Universidade de São Paulo

Pós-doutorando do Departamento de História da Universidade de São Paulo

Referências

Fontes primárias
Biblioteca Nacional. Divisão de Manuscritos, Rio de Janeiro.
Hansard – House of Lords and House of Commons Archives.
Periódicos
Jornal do Commercio.
The Anti-Slavery Reporter.
Outros materiais
A Chronological summary of the work of the British & Foreign Anti-Slavery Society during the nineteenth century (1839-1900). Londres: Offices of the Society, 1901.
CHRISTIE, W. D. Notes on Brazilian questions. Londres: MacMillan & Co., 1865.
MACEDO, Joaquim Manoel de. As vítimas-algozes. Quadros da escravidão. 3ª edição. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1991.
MALHEIRO, Agostinho Marques Perdigão. Ilegitimidade da propriedade constituída sobre o escravo, natureza de tal propriedade, justiça e conveniência da abolição da escravidão: em que termos. Rio de Janeiro, 7 de setembro de 1863.
MALHEIRO, Agostinho Marques Perdigão. A escravidão no Brasil. Ensaio histórico-jurídico-social. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1866-67.
Special Report of the Anti-Slavery Conference, held in Paris, in the Salle Hers, on the twenty-sixth and twenty-seventh August, 1867. Londres: Committee of the British and Foreign Anti-Slavery Society, s. d.
The relations of the British and Brazilian governments. Londres: Chapman and Hall, 1865.
TURNBULL, David. Travels in the West: Cuba; with notices of Porto Rico and the slave trade. Londres: Longman, Orme, Brown, Green, and Longmans, 1840.
Historiografia
ALONSO, Ângela. Flores, votos e balas. O movimento abolicionista brasileiro (1868-88). São Paulo: Companhia das Letras, 2015.
BETHELL, Leslie. A abolição do tráfico de escravos no Brasil. A Grã-Bretanha, o Brasil e a questão do tráfico de escravos, 1807-1869. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1976.
BRITO, Luciana da Cruz. Abolicionistas afro-americanos e suas interpretações sobre escravidão, liberdade e relações raciais no Brasil no século XIX. In: MACHADO, Maria Helena P. T. & CASTILHO, Celso (org.). Tornando-se livre. Agentes históricos e lutas sociais no processo de abolição. São Paulo: Edusp, 2015, p. 429-74.
CARNEIRO, Edison. A Lei do Ventre Livre. Afro-Ásia, n. 13, 1980.
CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem: a elite imperial. Teatro de sombras: a política imperial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.
CHALHOUB, Sidney. Machado de Assis, historiador. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.
CONRAD, Robert. Os últimos anos da escravatura no Brasil: 1850-1888. 2ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.
COSTA, Emilia Viotti da. Da senzala à colônia. 4ª edição. São Paulo: Unesp, 1998.
GRAHAM, Richard. Os fundamentos da ruptura de relações diplomáticas entre o Brasil e a Grã-Bretanha em 1863: “A Questão Christie”, parte I. Revista de História, vol. 24, n. 49, São Paulo, 1962.
GRAHAM, Richard. Os fundamentos da ruptura de relações diplomáticas entre o Brasil e a Grã-Bretanha em 1863: “A Questão Christie”. parte II. Revista de História, vol. 24, n. 50, São Paulo, 1962.
HORNE, Gerald. O Sul mais distante. O Brasil, os Estados Unidos e o tráfico de escravos africanos. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.
HUZZEY, Richard. Freedom burning. Anti-slavery and Empire in Victorian Britain. Ithaca: Cornell University Press, 2012.
LYRA, Heitor. História de dom Pedro II. Belo Horizonte; São Paulo: Itatiaia; Edusp, 1977, 3 vol.
MAMIGONIAN, Beatriz Gallotti. Africanos livres. A abolição do tráfico de escravos no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.
MAMIGONIAN, Beatriz Gallotti. O Estado nacional e a instabilidade da propriedade escrava: a Lei de 1831 e a matrícula dos escravos de 1832. Almanack, n. 2. Guarulhos, jul./dez. 2011, p. 20-37. ISSN 2236-4633. Disponível em: . Acesso em: 28 nov. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2236-463320110203.
MARQUESE, Rafael de Bivar. A Guerra Civil dos Estados Unidos e a crise da escravidão no Brasil. Afro-Ásia, n. 51, 2015, p. 37-71. ISSN 1981-1411. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.9771/1981-1411afro-ásia.v0i51.17663.
MARQUESE, Rafael de Bivar & BERBEL, Márcia Regina. The absence of race: slavery, citizenship, and pro-slavery ideology in the Cortes of Lisbon and the Rio de Janeiro Constituent Assembly (1821-4). Social History, vol. 32, 2007, p. 415-33. ISSN 1470-1200. Disponível em: . Acesso em: 29 out. 2017. DOI: https://doi.org/10.1080/03071020701616746.
MARQUESE, Rafael Bivar & SALLES, Ricardo (org.). Escravidão e capitalismo histórico no século XIX. Cuba, Brasil, Estados Unidos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.
NABUCO, Joaquim. Minha formação. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1963.
NABUCO, Joaquim. O Abolicionismo. Londres: Abraham Kingdom, 1883.
NABUCO, Joaquim. Um estadista do Império. Nabuco de Araújo. Sua vida, suas opiniões, sua época. Rio de Janeiro: H. Garnier, 1897, 3 tomos.
PARRON, Tâmis. A política da escravidão no Império do Brasil, 1826-1865. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.
RÉ, Henrique Antonio. “Missão nos Brasis”: a BFASS e a organização de uma missão abolicionista secreta ao Brasil no início da década de 1840. Revista de História, n. 174, São Paulo, jan.-jun. 2016, p. 69-100. ISSN 2316-9141. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2017. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2016.115377.
RÉ, Henrique Antonio. Uma missão abolicionista britânica no Brasil e as relações entre a British and Foreign Anti-Slavery Society e a Sociedade contra o Tráfico de Africanos e Promotora da Colonização e Civilização dos Indígenas. Almanack, n. 15, Guarulhos, abr. 2017, p. 293-317. ISSN 2236-4633. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2236-463320171508.
ROCHA, Antonio Penalves. Abolicionistas brasileiros e ingleses. A coligação entre Joaquim Nabuco e a British and Foreign Anti-Slavery Society (1880-1902). São Paulo: Editora da Unesp, 2009.
SALLES, Ricardo. E o Vale era o escravo. Vassouras, século XIX. Senhores e escravos no coração do Império. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.
SALLES, Ricardo. Nostalgia imperial. Escravidão e formação da identidade nacional no Brasil do Segundo Reinado. 2ª edição. Rio de Janeiro: Ponteio, 2013.
SKIDMORE II, William E. “A milder type of bondage”: Brazilian slavery and race relations in the eyes of American abolitionists, 1812–1888. Slavery & Abolition, 2017. ISSN 1743-9523. Disponível em: . Acesso em: 22 dez. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/0144039X.2017.1284459.
YOUSSEF, Alain El. Miguel Maria Lisboa: escravidão, geopolítica global e economia imperial durante a Guerra Civil norte-americana (1860-1871). Cadernos do CHDD, n. 29, Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão, Centro de História e Documentação Diplomática, ano XV, 2017, p. 29-50.
Publicado
2019-07-11
Seção
Artigos