Esporte, cultura e política: a trajetória dos Gay Games nas práticas esportivas contemporâneas

Autores

  • Wagner Xavier de Camargo Universidade Federal de São Carlos. Departamento de Ciências Sociais

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i108p97-114

Palavras-chave:

Gay Games, história, esportes, experiência etnográfica, antropologia.

Resumo

Os Jogos Olímpicos Gays foram criados em 1982 nos Estados Unidos, com a finalidade de agregar praticantes esportivos que não se filiavam aos ditames da heterossexualidade compulsória. Reunindo gays, lésbicas, bissexuais, travestis, transexuais e outros (inclusive heterossexuais), tais jogos ocorrem quadrienalmente há mais de trinta anos e trazem ao debate as identidades sexuais e de gênero no contexto de práticas esportivas, que, em geral, são discriminatórias e homofóbicas. O intuito deste capítulo é tecer considerações antropológicas sobre tal evento, bem como resgatar experiências etnográficas específicas do pesquisador em três edições internacionais dos Gay Games, com o objetivo de discutir representações de gênero e sexualidade nos esportes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wagner Xavier de Camargo, Universidade Federal de São Carlos. Departamento de Ciências Sociais

WAGNER XAVIER DE CAMARGO é pesquisador da Fapesp junto ao Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Downloads

Publicado

2016-03-28

Como Citar

Camargo, W. X. de. (2016). Esporte, cultura e política: a trajetória dos Gay Games nas práticas esportivas contemporâneas. Revista USP, (108), 97-114. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i108p97-114

Edição

Seção

Dossiê Jogos Olímpicos