Relações perigosas: os intelectuais católicos e a Igreja argentina

Autores

  • Diego Mauro Universidade Nacional de Rosário e Universidade Autônoma de Entre Ríos (Argentina)
  • José Zanca Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i120p77-94

Palavras-chave:

intelectuais católicos, política, religião, Argentina

Resumo

O intelectual foi uma das figuras características do século XX. A categoria foi associada, em suas origens, a uma cultura política afastada da religião –o anticlericalismo era majoritário entre os dreyfusards. Nas décadas seguintes, o termo se expandiu para outros grupos ideológicos e espirituais. Este artigo analisa ensaisticamente a formação progressiva e a transformação de um campo intelectual católico entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial. A partir dos debates que acompanharam o surgimento e desenvolvimento da revista Criterio, o texto visa a compreender as especificidades do intelectual católico em diferentes situações e as ligações tecidas com as autoridades da Igreja no contexto dos vários projetos de organização dos leigos que este lançou.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Diego Mauro, Universidade Nacional de Rosário e Universidade Autônoma de Entre Ríos (Argentina)

    é professor da Universidade Nacional de Rosário e da Universidade Autônoma de Entre Ríos (Argentina)

  • José Zanca, Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas

    é pesquisador adjunto do Conicet, membro da Rede de Estudos de História da Secularização e da Laicidade (Redhisel)

Downloads

Publicado

2019-03-11

Edição

Seção

Dossiê religião e modernidade

Como Citar

MAURO, Diego; ZANCA, José. Relações perigosas: os intelectuais católicos e a Igreja argentina. Revista USP, São Paulo, Brasil, n. 120, p. 77–94, 2019. DOI: 10.11606/issn.2316-9036.v0i120p77-94. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/155532.. Acesso em: 22 abr. 2024.