A Educação Física no Ensino Médio no “Currículo da Cidade de São Paulo”: uma leitura crítica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/rgpp.v10i2.174778

Palavras-chave:

Currículo, Formação de Professores, Ensino Médio, Práticas Pedagógicas, Visão Crítica da Sociedade

Resumo

O artigo trata de uma leitura crítica do currículo da rede pública municipal para o Ensino Médio, produzido a partir da Base Nacional Comum Curricular, a ser finalizado no ano de 2020. O documento curricular apresenta um caráter progressista, mostrou-se de fácil manuseio para consulta das professoras e dos professores da rede municipal da cidade de São Paulo. Do ponto de vista dos processos formativos, parece haver uma grande demanda também por discussões de caráter filosófico, para que a proposta possa ser plenamente compreendida e implementada pelo conjunto docente. O documento traz uma fundamentação teórica marcadamente crítica em relação à sociedade contemporânea. Sua estrutura assemelha-se à da Base Nacional Curricular, trazendo a Educação Física dentro do campo de Linguagens e suas tecnologias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Carlos Vaz, Universidade Cruzeiro do Sul

Graduado em Educação Física pelas Faculdades Integradas de Guarulhos, Guarulhos, SP, Brasil, Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, e doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, SP, Brasil. Atualmente é professor da Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, SP, Brasil.

Referências

Alves, Cecília Pescatore, & Cobra, Cristiane Moreira. (2013). Políticas Públicas de Educação no Brasil: possibilidades de emancipação?. Revista Gestão & Políticas Públicas, 3(1), 132-151. Acessado em 24 de março de 2020, de: https://www.revistas.usp.br/rgpp/article/view/97890

Arroyo, Miguel G. (2012). Corpos precarizados que interrogam nossa prática profissional. Em Miguel Arroyo González., & Mauricio Roberto. (org). Corpo-infância: exercícios tensos de ser criança: por outras pedagogias dos corpos. Petrópolis: Vozes.

Barboza, R., Machado Pirotta, K. C., & Pupo, L. R. (2017). Educação preventiva e promoção da saúde na escola: desafios para orientação sexual em São Paulo. Revista Gestão & Políticas Públicas, 7(1), 106-125. Acessado em 19 de maio de 2019, de: https://doi.org/10.11606/rg&pp.v7i1.148881

Batista, Neiza., Atem, Lou M., Gemelgo, Felipe., Gonçalves, Lucila., Nolasco, Ligia., & Rego, Renato. (2019). Escola Sem Partido e Ideologia de Gênero: reflexões sobre a educação e a luta pela construção de uma sociedade justa. Revista Gestão & Políticas Públicas, 9(1), 162-178. Acessado em 24 de março de 2020, de: https://doi.org/10.11606/rgpp.v9i1.147234

Freire, Paulo. (1986). Educação como prática da liberdade. Editora Paz e Terra. Rio de Janeiro.

Freire, Paulo. (1997). Pedagogia da Autonomia - Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra (Coleção Leitura).

López, Nestor. (2008). A escola e o bairro: reflexões sobre o caráter territorial dos processos educacionais nas cidades. Em Luiz Ribeiro., & Rubem Kaztman. (Orgs.). A cidade contra a escola. (pp. 327-345). Rio de Janeiro: Letra Capital, FAPERJ; Montevidéu: IPPES.

Pennac, Daniel. (1993). Como um romance. Rio de Janeiro: Rocco.

Santos, Gislene Aparecida dos. (2020). Multiculturalismo e Direitos: uma abordagem conceitual. Revista Gestão & Políticas Públicas, 10(1), 11-31. Acessado em 24 de Agosto de 2020, de: https://doi.org/10.11606/rgpp.v10i1.183509

São Paulo. (2020a). Currículo da Cidade: Ensino Médio. Parte 1. São Paulo: Secretaria Municipal de Educação. COPED/DIEFEM/NTC. (Versão preliminar).

São Paulo. (2020b). Currículo da Cidade: Ensino Médio – Parte 2: Área de Linguagens e suas Tecnologias. São Paulo: Secretaria Municipal de Educação. COPED/DIEFEM/NTC. (Versão preliminar).

Silva, Alessandro Soares da. (2007). Direitos Humanos e Lugares Minoritários: um convite ao pensar sobre os processos de exclusão na escola. Em: Ministério da Educação. Programa Ética e Cidadania: construindo valores na escola e na sociedade. Acessado em 19 de maio de 2019, de: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Etica/11_soares.pdf

Silva, Alessandro Soares da. (2012). Psicologia Política, Movimentos Sociais e Políticas Públicas. Tese (Livre Docência). Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Silva, Alessandro Soares da., & Ansara, Soraia. (2014). Escola e Comunidade: o difícil Jogo da participação. Em Denise D’Aurea-Tardeli & Fraullein Vidigal de Paula. Formadores da Criança e do Jovem–Interfaces da Comunidade Escolar. São Paulo: Cengage Learning. Acessado em 19 de Março de 2020, de: https://www.researchgate.net/publication/344172708_Escola_e_Comunidade_o_dificil_jogo_da_participacao#fullTextFileContent

Soares, Carmem e cols. (1992). Metodologia de ensino da Educação Física. Cortez: São Paulo.

Vaz, Antônio Carlos. (2019). Os Direitos Humanos e as Mulheres: a escola pode civilizar?. Revista Gestão & Políticas Públicas, 9(2), 198-216. https://doi.org/10.11606/rgpp.v9i2.176435

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Vaz, A. C. (2020). A Educação Física no Ensino Médio no “Currículo da Cidade de São Paulo”: uma leitura crítica. Revista Gestão & Políticas Públicas, 10(2), 327-341. https://doi.org/10.11606/rgpp.v10i2.174778

Edição

Seção

Artigos