Efeitos da caminhada no sistema musculoesquelético - estudo da flexibilidade

Autores

  • Fátima Aparecida Caromano USP; Faculdade de Medicina
  • Rachel Rodrigues Kerbauy USP; Faculdade de Medicina
  • Clarice Tanaka USP; Instituto de Psicologia
  • Maiza Ritomi Ide Universidade Estadual do Norte do Paraná
  • Cláudia Marchetti Vieira da Cruz USP; Faculdade de Medicina

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v18i2p95-101

Palavras-chave:

Atividade física, Envelhecimento, Exercício, Idoso, Sistema músculo-esquelético, Caminhada

Resumo

Este estudo avaliou o efeito de um programa de exercício físico - caminhada - em pessoas idosas saudáveis, previamente sedentárias, na flexibilidade. Um programa de treinamento físico de baixa a moderada intensidade foi desenvolvido e testado. Foi estabelecido parâmetro clínico para classificar e avaliar a evolução da flexibilidade. O estudo foi realizado com 20 pessoas (10 em grupo experimental - A, e 10 em grupo de controle - B) com idade média 68,6 anos, ativos nas comunidades e livres de distúrbios ou doenças cardiovasculares, pulmonares, neurológicas ou musculares, ou ainda de doenças crônicas que poderiam afetar a habilidade para praticar exercícios. O treinamento ocorreu durante quatro meses, em sessões de uma hora, duas vezes por semana, alcançando 40% a 70% de freqüência cardíaca máxima calculada. Ao término do quarto mês, avaliou-se novamente a flexibilidade (pós-teste). O treinamento produziu melhora clínica e estatística para flexibilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-08-01

Como Citar

Caromano, F. A., Kerbauy, R. R., Tanaka, C., Ide, M. R., & Cruz, C. M. V. da. (2007). Efeitos da caminhada no sistema musculoesquelético - estudo da flexibilidade . Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 18(2), 95-101. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v18i2p95-101

Edição

Seção

Artigo Original