A Tragédia no Rio de Janeiro na Revista Veja: os mitos e a complexidade sócio-ambiental

  • Roberto Ramos Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Liége Zamberlan Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Comunicação, Tragédia, Educação, Sócio-ambiental, Mito

Resumo

O temporal, que caiu no Rio de Janeiro, na madrugada de 06 de abril de 2010, foi trágico. O obscuro das mortes e das destruições foi capaz de colocar sob os holofotes a realidade social brasileira. A Revista Veja procurou representar esse contexto por meio de seus discursos jornalísticos. Para compreendê-los e explicá-los, utilizaremos a Semiologia, de Roland Barthes e o Paradigma da Complexidade, de Edgar Morin

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Ramos, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Docente da PUCRS, atuando na Graduação e na Pós-Graduação da FAMECOS
Liége Zamberlan, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Jornalista,doutora em Comunicação Social pela PUCRS, docente da Faccat (Faculdades de Taquara),
atuando na graduação de Publicidade e Propaganda e Relações Públicas
Publicado
2012-09-07
Como Citar
Ramos, R., & Zamberlan, L. (2012). A Tragédia no Rio de Janeiro na Revista Veja: os mitos e a complexidade sócio-ambiental. Revista Alterjor, 2(2), 1-10. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/alterjor/article/view/88212