O lugar de um livro de cozinha em uma biblioteca pública renascentista: estudo sobre o De re coquinaria, atribuído a Apício, a partir do manuscrito laurenziano Plut. 73.201

Autores

  • Wanessa Asfora Nadler Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02672018v26e20

Palavras-chave:

Apício, Renascimento italiano, Livros de cozinha, Medicina, Bibliotecas, Circulação de conhecimento

Resumo

Alguns dos primeiros manuscritos renascentistas do livro de cozinha atribuído a Apício, produzidos na segunda metade do século XV, foram quase certamente confeccionados para integrar coleções de bibliotecas privadas de poderosos senhores de cidades da Itália do Norte e Central. Entretanto, a história de um deles, o manuscrito laurenziano Plut. 73.20 – transladado da coleção privada dos Médici para a primeira biblioteca pública moderna, a Biblioteca Medicea Laurenziana – permite uma reflexão mais ampliada. A partir da observação de aspectos materiais do manuscrito, bem como daqueles referentes à história de seu armazenamento espacial, desenvolve-se uma reflexão acerca de como os conteúdos de Apício foram interpretados e classificados pelos humanistas da época. A hipótese perseguida é que os humanistas, particularmente aqueles interessados em medicina, exerceram um papel importante na transformação do livro de cozinha apiciano, que passa a ser, ao menos durante um certo período de tempo, classificado como médico e não culinário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wanessa Asfora Nadler, Universidade Estadual de Campinas

Pesquisadora de pós-douorado na Unicamp e bolsista de pós-doutorado da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp)

Downloads

Publicado

2018-11-29

Como Citar

Asfora Nadler, W. (2018). O lugar de um livro de cozinha em uma biblioteca pública renascentista: estudo sobre o De re coquinaria, atribuído a Apício, a partir do manuscrito laurenziano Plut. 73.201. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 26, e20. https://doi.org/10.1590/1982-02672018v26e20

Edição

Seção

Estudos de Cultura Material