Museologia experimental de imagens insubordinadas: a coleção fotográfica de Luiz Claudio da Silva no Museu das Remoções

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02672022v30d1e25

Palavras-chave:

Museu das Remoções, Musealização, Museologia experimental, Fotografia, Vila Autódromo

Resumo

Neste artigo é analisada a musealização da Vila Autódromo, comunidade da zona oeste do Rio de Janeiro, alterada pelo processo de remoções entre 2014 e 2016, onde foi criado o Museu das Remoções. A pesquisa toma como base a coleção fotográfica de Luiz Claudio da Silva, morador da Vila e curador de sucessivas exposições sobre a memória comunitária das remoções. O texto se pauta na investigação museológica das imagens produzidas na esfera privada para desafiar os regimes de visibilidade das instituições públicas no Brasil, observando o contexto de sua produção, seus usos e fluxos na musealização.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Bruno Brulon, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

    Bacharel em museologia, licenciado e bacharel em história pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio); mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio – Unirio-Mast; doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal Fluminense (UFF). Atualmente é professor adjunto dos cursos de Museologia da Unirio e presidente do Comitê Internacional de Museologia (Icofom), do Icom. E-mail: brunobrulon@gmail.com

  • Lia Fernandes Peixinho, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

    Bacharela em museologia pela Unirio; Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Museologia e
    Patrimônio – Unirio-Mast; graduanda em Antropologia pela UFF. Atualmente é colaboradora voluntária
    do Museu das Remoções. E-mail: liafpeixinho@gmail.com

Referências

LIVROS, ARTIGOS E TESES

ABREU, Regina; CHAGAS, Mário de Souza. Museu da Maré: memórias e narrativas a favor da

dignidade social. Musas: Revista Brasileira de Museus e Museologia, Rio de Janeiro, n. 3,

p. 130-152, 2007. Disponível em: https://bit.ly/3JuI4Ih. Acesso em: 10 jun. 2020.

BARBE, Noël. 2019. Pour une anthropologie plébéienne et pragmatiste du patrimoine. In Situ:

Au Regard des Sciences Sociales, Paris, n. 1, p. 1-19, 2019. DOI: 10.4000/insituarss.485.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da

cultura. São Paulo: Editora Brasiliense, 1996.

BOGADO, Diana. Memória popular: dispositivo de luta pelo direito à habitação. os casos da

comunidade Vila Autódromo (Rio de Janeiro) e Bairro 6 de Maio (Amadora). Finisterra, Lisboa,

v. 55, n. 114, p. 127-140, 2020. DOI: https://doi.org/10.18055/Finis19481.

BOGADO, Diana. O Museu das Remoções da Vila Autódromo: potência de resistência criativa

e afetiva como resposta sociocultural ao Rio de Janeiro dos megaeventos. 2017. Tese

(Doutorado em Arquitetura) – Universidade de Sevilha, Sevilha, 2017.

BRULON, Bruno. Museus, patrimônio e experiência criadora: ensaio sobre as bases da

museologia experimental. In: MAGALHÃES, Fernando et al. (dir.). Museologia e patrimônio.

Portugal: IPLeiria, 2019. v. 1, p. 199-231.

BRULON, Bruno. Passagens da museologia: a musealização como caminho. Museologia e

patrimônio, Rio de Janeiro, v. 2, p. 189-210, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3iwD9dX.

Acesso em: 15 jun. 2020.

CARVALHO, Ana Priscila de. Etnografando a produção de ruínas em Vila Autódromo (RJ):

visibilidade e política das imagens desde dentro. 2019. Dissertação (Mestrado em Direito) –

Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019.

CURY, Marília Xavier. Museu, filho de Orfeu, e musealização. In: ICOFOM LAM, 8., 1999, Coro.

Anais […]. [S. l.: s. n.], 1999. p. 50-55. Disponível em: https://bit.ly/3DgS85t. Acesso em:

mar. 2022.

DEBARY, Octave. La fin du creusot ou l’art d’accommoder les restes. Paris: CTHS, 2002.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Écorce. Paris: Les Éditions Minuit, 2011.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Images malgré tout. Paris: Les Éditions Minuit, 2003.

DUBOIS, Philippe. L’acte photographique et autres essais. Paris: Nathan, 1990.

EDWARDS, Elizabeth. Raw histories: photographs, anthropology and museums. Oxford: Berg, 2001.

FAULHABER, Lucas; AZEVEDO, Lena. SMH 2016: Remoções no Rio de Janeiro Olímpico. Rio

de Janeiro: Mórula, 2015.

GINZBURG, Carlo. Rapports de force: histoire, rhétorique, preuve. Paris: Gallimard, 2003.

HEINICH, Nathalie. Les émotions patrimoniales: de l’affect à l’axiologie. Social Anthropology,

New York, v. 20, p. 19-33, 2012. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1469-8676.2011.00187.x.

MAUAD, Ana Maria. Imagens que faltam, imagens que sobram: práticas visuais e cotidiano em

regimes de exceção 1960-1980. Estudos Ibero-Americanos, Porto Alegre, v. 43, n. 2, p. 397-413. DOI: https://doi.org/10.15448/1980-864X.2017.2.

MEDEIROS, Mariana. Ocupa Vila Autódromo: um movimento cultural de luta pela permanência. In: TANAKA, Giselle et al. (org.). Viva a Vila Autódromo: o plano popular e a luta contra a remoção. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2018. p. 335-346.

NORA, Pierre. Entre mémoire et histoire, la problématique des lieux. In: NORA, Pierre (org.).

Les lieux de mémoire. Paris: Gallimard, 1984. v. 1, p. XVI-XLII.

PEIXINHO, Lia Fernandes. O museu e seus usos: Museu das Remoções grita o indizível. 2021.

Monografia (Bacharelado em Museologia) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro,

Rio de Janeiro, 2021.

POLLAK, Michael. Mémoire, oublie, silence. In: POLLAK, Michael (dir.). Une identité blessée:

études de sociologie et d’histoire. Paris: Éditions Métailié, 1993. p. 13-39.

SCHULMAN, Sarah. The gentrification of the mind: witness to a lost imagination. Berkeley:

University of California Press, 2013.

TEIXEIRA, Sandra Maria. Museu das Remoções: moradia e memória. In: BROWN, Karen;

GONZÁLEZ RUEDA, Ana S.; SOARES, Bruno Brulon (ed.). Descolonizando a Museologia. Paris:

Icofom, 2020. p. 226-238. Disponível em: https://bit.ly/36uTNs5. Acesso em: 20 mar. 2022.

TEIXEIRA, Sandra Maria de Souza. Resistência, pelo direito, história e memória. In: CALABRE, Lia et al. (org.). Memória das olimpíadas no Brasil: diálogos e olhares. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2017. p. 147-164. Disponível em: https://bit.ly/3Nmrc9a. Acesso em: 20 mar. 2022.

TORNATORE, Jean-Louis. Impressions patrimoniales: topologie de la perte et photographie.

In: ROUX, Jacques; PERONI, Michel (org.). Sensibiliser: la sociologie dans le vif du monde. La

Tour d’Aigues: Éditions de l’Aube, 2006. p. 281-297.

VAINER, Carlos. Pátria, empresa e mercadoria: notas sobre a estratégia discursiva do

planejamento estratégico urbano. In: ARANTES, Otília; VAINER, Carlos; MARICATO, Ermínia

(org.). A cidade do pensamento único. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 75-103.

Publicado

2022-12-14

Edição

Seção

Museus/Dossiê - 1822-2022: museus e memória da nação

Como Citar

BRULON, Bruno; PEIXINHO, Lia Fernandes. Museologia experimental de imagens insubordinadas: a coleção fotográfica de Luiz Claudio da Silva no Museu das Remoções. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 30, p. 1–32, 2022. DOI: 10.1590/1982-02672022v30d1e25. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/195831.. Acesso em: 20 abr. 2024.