Política Pública e Projeto Colonial: o Centro Cultural Usina do Gasômetro

Autores

  • Ana Paula Parodi Eberhardt Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v9i2p110-121

Palavras-chave:

Políticas culturais, Projeto Usina das Artes, Colonialismo, Neoliberalismo

Resumo

O presente trabalho pretende discorrer a respeito do fechamento do Centro Cultural Usina do Gasômetro, o desalojamento de grupos de artes cênicas do projeto municipal Usina das Artes e a sua realocação para um espaço não legitimado no circuito artístico da cidade. Relacionando este acontecimento, bem como alguns outros ocorridos recentemente na vida cultural da cidade com os escritos de Elisa Belém e André Augustin, podemos inferir que as alterações em políticas públicas culturais estão atreladas a um projeto de desvalorização de formas de atividade intelectual, artística e de ensino, recorrente em países em desenvolvimento. Este processo de subalternização está ligado a um plano econômico neoliberal mais amplo de manutenção do projeto colonialista de dominação, na busca por um monopólio da distribuição de verbas públicas por parte do setor privado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Parodi Eberhardt, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestra em Antropologia Social e licenciada em Ciências Sociais, ambas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Temas de pesquisa: memória, cidade, patrimônio, imagem, lazer, cultura popular, teatro e sociabilidade. Atriz e produtora cultural pela Cambada de Teatro em Ação Direta Levanta Favela.

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

Eberhardt, A. P. P. (2019). Política Pública e Projeto Colonial: o Centro Cultural Usina do Gasômetro. Revista Aspas, 9(2), 110-121. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v9i2p110-121