LIBERDADE POLÍTICA E REPRESENTAÇÃO: ELEMENTOS PARA A COMPREENSÃO DO REPUBLICANISMO DE HANNAH ARENDT

  • José Luiz de Oliveira
Palavras-chave: Liberdade, Representação, Republicanismo, Revolução

Resumo

O pensamento político de Hannah Arendt se desenvolve por meio de uma adesão a um republicanismo sustentado pela vivência da liberdade política no interior de espaços públicos. Esses espaços, uma vez concebidos como manifestação espontânea de liberdade política, se estabelecem utilizando-se de palavras e ações conjuntas pautadas no cotidiano das pessoas que neles encontramse envolvidas. Trata-se de um tipo de liberdade que é semelhante àquela vivenciada pelos gregos da antiga polis. Interessa-nos demonstrar que a pensadora analisa, em boa medida, o quanto a preservação da liberdade política se apresenta como fator relevante para que o tesouro das Revoluções não se torne um propósito perdido. A partir daí, vemos que não é possível entender a configuração do republicanismo, segundo o pensamento de Arendt, sem que no seu interior pulse permanentemente a vivência da liberdade política, a qual se contrapõe à representação política institucional concebida na modernidade por via dos parlamentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-06-08
Como Citar
de Oliveira, J. (2016). LIBERDADE POLÍTICA E REPRESENTAÇÃO: ELEMENTOS PARA A COMPREENSÃO DO REPUBLICANISMO DE HANNAH ARENDT. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 1(28), 71-85. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/cefp/article/view/116281