O FIM DA POLÍTICA OU A POLÍTICA COMO FIM? UMA INTERPRETAÇÃO A PARTIR DO ESTOICISMO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v2i37p24-36

Palavras-chave:

Política, Estoicismo, Estoico, Skopós, Telós, Indiferente, Sêneca

Resumo

Pretende-se, neste texto, pensar o estatuto da ação política sob a ótica do estoicismo. Para tanto, alguns conceitos imprescindíveis para a compreensão da ética estoica serão abordados, tais como sua concepção de virtude, os conceitos de telós, skopós, indiferente, dentre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Taynam Santos Luz Bueno, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Professora adjunta da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Doutora em filosofia pela Universidade de São Paulo - USP (2016) e Université de Paris I - Pantheon-Sorbonne (2014), mestre em filosofia pela Universidade de São Paulo - USP (2010), graduada e licenciada em filosofia pela mesma universidade (2005), graduada em Letras - Francês pela Universidade de São Paulo - USP (2013). É membro da equipe editorial dos Cadernos de Ética e Filosofia Política da USP (CEFP) desde o ano de 2008. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Etica e Filosofia Politica, História da Filosofia e Filosofia Antiga, atuando principalmente nos seguintes temas: filosofia política, filosofia antiga, ética, estoicismo e Sêneca

Referências

ARNIM, Hans Von. Stoici antichi, tutti i frammenti (SVF). Introduzione, traduzione, note e apparati a cura di Roberto Radice; presentazione di Giovanni Reale. Milano: Bompiani, 2002.

CÍCERO, Marco Túlio. Do Sumo bem e do sumo mal (De Finibus). Tradução de Carlos Ancêde Nougué. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

______. De Re Publica, De Legibus. Loeb classical library n. 213. Cambridge: Harvard University Press, 1988-.

______. Dos Deveres (De Officiis). Tradução de Angélica Chiapeta, Revisão de Gilson Cesar Cardoso de Souza. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

DUHOT, JEAN-JOËL. Epicteto e a sabedoria estoica. Tradução de Marcelo Perine. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

EPICTETO, Discourses, Fragments, Handbook. Tradução de Robin Hard. Introdução e notas de Christopher Gill. Oxford: OUP, 2014.

______. Entretiens. Livres I à IV. Tradução de Joseph Souilhé com a colaboração de Amand Jagu. Paris: Gallimard, 1993.

______. [Arriano Flávio]. O Manual de Epicteto. (Encheirídion). Introdução de Aldo Dinucci e Antonio Tarquínio. Tradução de Aldo Dinucci e Alfredo Julien. São Cristõvão: Universidade Federal do Sergipe, 2012:

GAZOLLA, Rachel. O ofício do filósofo estoico: O duplo registro do discurso da Stoa. São Paulo: Edições Loyola, 1999.

GOULET, R. e GOULET-CAZÉ, M.-O (Orgs.) Le cynisme ancient et ses prolongements. Paris: PUF, 1993.

GOULET-CAZÉ, M.-O. “De la République de Diogène à la République de Zénon”. In: ______. Le cynisme, une philosophie antique. Paris: Vrin, 2017. pp. 545-606

INWOOD, Brad. “Goal and target in Stoicism”. In: The Journal of philosophy. Vol. 83, nº 10. (Oct-1986). pp. 547-556

LAÊRTIOS, D. Vida e Doutrina dos Filósofos Ilustres. Tradução do grego, introdução e notas: Mário da Gama Kury. 2ª Edição. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2008

LAURAND, V. La politique stoïcienne. Paris: PUF, 2005.

LONG, A. A. “Carneades and the stoic télos”. In: Phronesis. Vol. 12, Nº 1. (1967). pp. 59-90.

PLUTARCO, Stoicorum repugnantis. Disponível em: Moralia, vol. XIII, parte II (Loeb Classical Library nº 470). Harvard: Harvard University Press, 1993.

RADICE, Roberto. "Oikeiosis": ricerche sul fondamento del pensiero stoico e sulla sua genesi. Milano: Ed. Vita e Pensiero, 2000

SÊNECA, L. A. Tratado sobre a clemência. (Clem.) Introdução, tradução e notas: Ingeborg Braren. Petrópolis: Vozes, 1990.

______. Sobre a tranquilidade da alma /Sobre o Ócio. (Dial.). Tradução, notas e apresentação de José Rodrigues Seabra Filho. Ed. Bilíngue. São Paulo: Nova Alexandria, 2001.

_____. Cartas à Lucílio. (Ep.). Tradução, prefácio e notas de J. A. Segurado e Campos. 4ª Edição. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2009.

Downloads

Publicado

2020-12-28

Como Citar

Bueno, T. S. L. (2020). O FIM DA POLÍTICA OU A POLÍTICA COMO FIM? UMA INTERPRETAÇÃO A PARTIR DO ESTOICISMO. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 2(37), 24-36. https://doi.org/10.11606/issn.1517-0128.v2i37p24-36