Argumentação na sala de aula e seu potencial metacognitivo como caminho para um enfoque CTS no ensino de química: uma proposta analítica

Autores

  • Sylvia De Chiaro Universidade Federal de Pernambuco
  • Kátia Aparecida da Silva Aquino Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.1590/s1517-9702201704158018

Palavras-chave:

Argumentação, Metacognição, CTS, Ciência, Tecnologia e Sociedade, Ensino de química

Resumo

O ensino de química muitas vezes é guiado pela utilização de fórmulas e esquemas, dada a natureza dos símbolos que permeiam tal disciplina. Nesse cenário, são poucos os estudos que tratam de aspectos ligados ao processo de reflexão usando temas na área de ciências exatas. Assim, fazer parte da formação de indivíduos críticos e reflexivos em relação ao conhecimento, a eles mesmos e ao ambiente social e natural em que vivem tem sido preocupação de educadores e psicólogos e está na base do movimento CTS – Ciência, Tecnologia e Sociedade. Este estudo, apoiando-se no potencial metacognitivo da argumentação na educação, amplia essa discussão ao investigar se a utilização desse tipo de discurso propicia aos alunos a reflexão sobre seus próprios pensamentos, mostrando um funcionamento ao nível metacognitivo necessário ao enfoque CTS em sala de aula. Foram analisadas produções textuais de três alunos em aulas de química no ensino médio, nas quais se solicitava o posicionamento destes diante da pergunta “Radioatividade: vida ou morte?”, após serem realizados debates sobre esse tema. As análises mostraram que a argumentação, por sua organização discursiva peculiar, se constitui em interessante alternativa para fazer emergir formas de pensamento sofisticadas, como as que definem um pensamento crítico e reflexivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-04-01

Como Citar

Chiaro, S. D., & Aquino, K. A. da S. (2017). Argumentação na sala de aula e seu potencial metacognitivo como caminho para um enfoque CTS no ensino de química: uma proposta analítica. Educação E Pesquisa, 43(2), 411-426. https://doi.org/10.1590/s1517-9702201704158018

Edição

Seção

Artigos