Apresentação da tradução do artigo: O transnacional na história da educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1517-97022021470100301

Palavras-chave:

Tradução, O transnacional na história da educação, Eugenia Roldán Vera, Eckhardt Fuchs

Resumo

O nascimento da era do nacionalismo, no século XVIII, foi resultado, segundo Benedict Anderson (2008 , p. 69), de três condições culturais: “a indissociabilidade entre uma determinada língua e a verdade; a crença na graça cosmológica (divina) dos governantes; e a associação entre cosmologia e história”. Na produção de “uma nova maneira de unir significativamente a fraternidade, o poder e o tempo” ( ANDERSON, 2008 , p. 70), reescrever o passado e projetar o futuro emergiram como problemas de primeira ordem, visando a assegurar legitimidade aos governos e constituir identidade ao povo. Não por acaso, despontaram neste cenário, como investimentos necessários do Estado, tanto a história, como disciplina acadêmica, em parte associada aos Institutos Histórico-Geográficos, quanto a escola elementar obrigatória. Constituídas a partir deste lugar, as duas instituições por muitos anos foram tributárias de uma narrativa tramada pelo que denominou Martin Lawn (2014 , p. 132) de “nacionalismo metodológico”. Nos dois casos, permitiu o surgimento das categorias “História Nacional” e “Escola Nacional” que, no dizer de Eugenia Roldán Vera (2013) , tenderam a naturalizar o Estado-Nação, encapsulando as análises e obstaculizando a percepção de conexões, contatos, trânsitos entre e através das fronteiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-06-14

Como Citar

Silva, A. R. e ., Guimarães, A. C. de C. ., & Vidal, D. G. . (2021). Apresentação da tradução do artigo: O transnacional na história da educação. Educação E Pesquisa, 47, 1-3; 4. https://doi.org/10.1590/S1517-97022021470100301

Edição

Seção

Tradução