Acompanhamento terapêutico: vertigens da clínica no concreto da cidade

Autores

  • Analice de Lima Palombini
  • Károl Veiga Cabral
  • Márcio Mariath Belloc

Palavras-chave:

Acompanhamento terapêutico, Psicanálise, Cidade, Saúde mental

Resumo

Este artigo tem como ponto de partida o percurso de uma experiência desenvolvida desde 1998 junto ao Instituto de Psicologia da UFRGS, em parceria com serviços de saúde mental da rede pública, tendo a atividade do acompanhamento terapêutico (AT) como vetor •no contexto da reforma psiquiátrica, o acompanhamento terapêutico torna-se uma função emblemática da interpenetração das disciplinas psi com o espaço e tempo da cidade. Se diferentes vertentes da clínica disponibilizam ferramentas conceituais com as quais se constrói a prática do AT, é do encontro entre acompanhante e acompanhado em meio à cidade e seus jogos de força que surgem as interpelações que aqui lançamos, em retorno, no campo da clínica, à psicanálise mesma.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-05-22

Como Citar

Palombini, A. de L., Cabral, K. V., & Belloc, M. M. (2020). Acompanhamento terapêutico: vertigens da clínica no concreto da cidade. Estilos Da Clinica, 10(19), 32-59. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/estic/article/view/169974