Lugar de Vida em tempos de pandemia: 30 anos depois e a continuidade das invenções

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v26i2p252-264

Palavras-chave:

Pandemia, Psicanálise, Atendimento remoto, Grupos heterogêneos, Autismo

Resumo

Este artigo tem como objetivo abordar as transformações ocorridas no trabalho institucional do Lugar de Vida - Centro de Educação Terapêutica durante o período de distanciamento social acarretado pela pandemia do COVID-19. Retoma-se a história da instituição, ressaltando o caráter inventivo inerente à clínica psicanalítica com crianças com entraves estruturais na constituição psíquica. São trabalhadas situações clínicas disparadoras do questionamento e da reformulação dos projetos terapêuticos nesse cenário, assim como a forma da instituição continuar com o seu trabalho com as crianças, a família e a escola. Considera-se que, para algumas crianças, os atendimentos remotos funcionam como tratamento do Outro. São novas modalidades de barreira e proteção frente a um Outro invasivo ou caótico. As telas podem ser dispositivos subjetivantes se, de um lado, houver um interlocutor-sujeito e, do outro, um suposto-sujeito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laura Carrasqueira Bechara, Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia

Psicóloga e psicanalista. Membro da equipe do Lugar de Vida – Centro de Educação Terapêutica e do Laboratório de Psicanálise, Saúde e Instituição Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Marina Belém Lavrador, Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia

Psicóloga e psicanalista. Membro da equipe do Lugar de Vida – Centro de Educação Terapêutica e do Laboratório de Psicanálise, Saúde e Instituição do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil.

Maria Eugênia Pesaro, Lugar de Vida - Centro de Educação Terapêutica

Psicóloga e psicanalista. Membro do Lugar de Vida - Centro de Educação Terapêutica. São Paulo SP, Brasil.

Mariana Trenche de Oliveira , Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Fonoaudióloga, doutoranda em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, membro do Lugar de Vida – Centro de Educação Terapêutica. São Paulo, SP, Brasil.

Cristina Keiko Inafuku de Merletti , Universidade Ibirapuera. Programa de Pós-Graduação em Educação e Psicanálise

Psicóloga e psicanalista. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação e Psicanálise da Universidade Ibirapuera, membro do Lugar de Vida - Centro de Educação Terapêutica. São Paulo, SP, Brasil.

Referências

Batista, A., & Jerusalinsky, J. (2017). Intoxicações eletrônicas: o sujeito na era das relações virtuais. Salvador, BA: Agálma.

Calzavara, M. G. P. & Vorcaro, A. M. R. (2018). Efeitos da incidência da linguagem no corpo do sujeito autista. Tempo psicanalitico, 50(2), 31-50. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-48382018000200003&lng=pt&tlng=pt.

Di Ciaccia, A. (1998). De la fondation par Un à la pratique à plusieurs. Préliminaire, 9 e 10, 17-22.

Kupfer, M.C.M. (2010) O sujeito na psicanálise e na educação: bases para a educação terapêutica. Educação e Realidade, 35(1), 265-281. https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/9371/5412

Kupfer, M.C.M., Faria, C., & Merletti, C.K.I. (2007) O tratamento institucional do Outro na psicose e no autismo. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 59(2), 156-86. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/arbp/v59n2/v59n2a06.pdf

Kupfer, M.C.M., Pinto, F.S.C.N. & Voltolini, R. (2010) O que uma criança pode fazer por outra? Sobre grupos terapêuticos de crianças. In Kupfer, M.C. & Pinto, F.S.C.N. (Orgs). Lugar de Vida, vinte anos depois (pp. 97-101). São Paulo: Escuta.

Kupfer, M.C.M. Pesaro, M.E., Bernardino, L.M e Merletti, C. (2017). Eixos teóricos da Metodologia do Estudo de Caso da Escola: o tempo da criança-sujeito. In M. C. Kupfer, M. H. Souza Patto, & R. Voltolini (Orgs.). Práticas inclusivas em escolas transformadoras: acolhendo o aluno-sujeito (pp. 35-49). São Paulo: Escuta.

Kupfer, M.C.M., & Bernardino, L.M.F. (2020). Manual para o uso do instrumento APEGI. São Paulo, SP: Editora Escuta. E-book.

Lacan, J. (1985a). O seminário, livro 11: Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise, 1964. Rio de Janeiro, RJ: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1985b). O seminário, livro 20: Mais, ainda, 1972-1973. Rio de Janeiro, RJ: Jorge Zahar.

Lavrador, M. B., & Merletti, C. K. I. (2017). Grupos heterogêneos de educação terapêutica: efeitos entre crianças e a emergência do prazer compartilhado e da interação social em um caso de autismo. Estilos [online]. 22(3), 540-555. ISSN 1415-7128.doi: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v22i3p1-16.

Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996. (1996, 20 de dezembro). Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília. Disponível em: <https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/70320/65.pdf?seque nce=3>.

Maleval, J.-C. (2017a). “Sobretudo verborrágicos”, os autistas. In J.-C. Maleval, O autista e a sua voz (pp.87-127). São Paulo: Blucher.

Maleval, J.-C. (2017b). O retorno do gozo na borda autística. In J.-C. Maleval, O autista e a sua voz (p.123-256). São Paulo: Blucher.

Resolução nº 2, de 11 de setembro de 2001. (2001, 11 de setembro). Diretrizes Curriculares para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/diretrizes.pdf>.

Tisseron, S. (2008). Le danger de la télé pour les bébés. Toulouse: Érès

Downloads

Publicado

2021-08-30

Como Citar

Bechara, L. C., Lavrador, M. B. ., Pesaro, M. E., Oliveira , M. T. de ., & Merletti , C. K. I. de . (2021). Lugar de Vida em tempos de pandemia: 30 anos depois e a continuidade das invenções. Estilos Da Clinica, 26(2), 252-264. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v26i2p252-264