Oh Minas Gerais, Oh linda La Paz: identidades no discurso cancional

  • Carlos Jáuregui Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)
  • Nísio Teixeira Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Palavras-chave: canção, hino, identidade, nação, tradição

Resumo

Com o objetivo de contribuir para a compreensão do cenário em que símbolos de identidades nacionais e locais têm sido evocados como estratégia política, este trabalho analisa o caso da canção (Oh) Minas Gerais, que poderá tornar-se hino oficial do Estado, caso seja aprovada uma proposta em tramitação na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Recuperamos a trajetória da peça musical que também se tornou hino não-oficial da cidade boliviana de La Paz e conta com versões anteriores em outras línguas, dentre as quais, destacamos variantes cantadas em inglês, italiano e russo. A partir da contextualização de suas origens (mesmo que imprecisas) e da análise de melodia e letra, em articulação com seus contextos de produção e circulação, propomo-nos a refletir sobre variações e recorrências, concentrando-nos nos valores e afetos convocados na construção das identidades mineira e paceña que são sugeridas em forma de música e nos aspectos cancionais que favorecem sua consolidação como um “hino”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Jáuregui, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Professor do departamento de jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto, onde leciona disciplinas e desenvolve pesquisa na área de rádio, linguagem sonora e música popular. É doutor em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais e músico com atuação como compositor e instrumentista.

Nísio Teixeira, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Professor do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais, onde integra grupo de ensino, pesquisa e extensão sobre ruídos, sonoridades e canções e mantém, na rádio Universitária UFMG Educativa 104,5 FM (www.ufmg.br/radio) dois programas voltados para a canção brasileira.

Referências

ATB DIGITAL. Oh Minas Gerais y oh Linda La Paz ¿Cuál es la original?. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=ecppe2YRpq0 Acesso em 31/12/2018.

EDUARDO CABA, BANDA MUNICIPAL. Oh Linda La Paz. In: Fiestas Julias. Discolandia Dueri & Cia, 2016.

BONAFÉ, Luigi: Os funerais de Joaquim Nabuco na capital da República (1910). Comunicação apresentada em ‘Usos do Passado’ — XII Encontro Regional de História. ANPUH-RJ 2006.

CÂMARA FEDERAL. Proposições. De Moraes, autor do “hino” Minas Gerais, morre em Juiz de Fora aos 90 anos. Brasília, 27 de novembro de 2002. Disponível em http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=1C5AA513F4EB99A9BFEA5BEB3549B8CC.proposicoesWebExterno2?codteor=106069&filename=Tramitacao-DIS+3425/2002. Acesso em 31/12/2018.

COTTRAU; ROBERTO, Paulo; PAIVA, Roberto. Minas gerais. Continental, 1944-1945.

DE MORAIS; ARAÚJO, Manezinho. Minas gerais. Acompanhado por Antenógenes Silva, Conjunto. Odeon, 09/03/1942.

DIÁRIO DO LEGISLATIVO 7 DE NOVEMBRO DE 2015 – PEC 41/2015. Disponível em: https://www.almg.gov.br/export/sites/default/consulte/arquivo_diario_legislativo/pdfs/2015/11/L20151107.pdf . Acesso em 19/10/2018.

DEIGHAN, Mike; WILSH, Mike. Waterloo Road. Interpretação: Jasons Crest's. Philips, 1968.

DEIGHAN, Mike, WILSH, Mike; DELANOË, Pierre. Les Champs Élysées. Interpretação: Joe Dassin. CBS, 1969.

DINIZ, Zolachio. O que é o rádio: fator de educação ou diversão? FON FON : Semanario Alegre, Politico, Critico e Esphusiante (RJ). 28 de janeiro de 1939, p.32.

FURTADO FILHO, João Ernani. Samba exaltação – fantasia de um Brasil brasileiro. In: MORAES, José Geraldo Vinci e SALIBA, Elias Thomé (org.) História e música no Brasil. São Paulo: Alameda, 2010, p. 269-318.

HOBSBAWN, E. J; RANGER, T. O (Org.). A invenção das tradições. 10. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

MARÇAL, Manuel Mateus. O que é o rádio: fator de educação ou diversão? Panorama do rádio brasileiro na década de 1930 pela enquete da revista Fon Fon!. Trabalho de Conclusão para o Curso de Comunicação Social da UFMG. Monografia. Belo Horizonte: UFMG, 2014.

MACHI MIRÓN. “De plágios e plagiarios”. Página Siete, La Paz, 20 mar. 2014. Disponível em: < https://www.paginasiete.bo/ideas/2014/3/23/plagios-plagiarios-16764.html > . Acesso em: 05/11/2018.

MORAES, Gabriel. Música Oh Minas Gerais pode virar o hino oficial do Estado. Jornal O Tempo, 17 de dezembro de 2018. Disponível em https://www.otempo.com.br/capa/pol%C3%ADtica/m%C3%BAsica-oh-minas-gerais-pode-virar-o-hino-oficial-do-estado-1.2081867 Acesso em 31/12/2018.

NEVES, Eduardo das. O minas gerais. Odeon, 1907-1912.

POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS. Hinos! – Alma brasileira. Belo Horizonte: Gravadora Discobertas, 2010. 2 CDs (Faixa 9 2min48).

OLMA MEDIA GROUP. O charme do romance russo. Moscou: OLMA MEDIA GROUP, 2013.

SECOND HAND SONGS. My Nellie's Blue Eyes. Disponível em: < https://secondhandsongs.com/work/166626/versions#nav-entity >. Acesso em: 30 nov. 2013.
TATIT, Luiz. Semiótica da canção: melodia e letra. São Paulo: Escuta, 2007.

AUTOR. (REFERÊNCIA DO PRÓPRIO AUTOR)
Publicado
2019-10-17
Como Citar
Jáuregui, C., & Teixeira, N. (2019). Oh Minas Gerais, Oh linda La Paz: identidades no discurso cancional. Revista Extraprensa, 12, 152-169. https://doi.org/10.11606/extraprensa2019.153497
Seção
GT1 - Produção, circulação e fruição de bens culturais