Paisagens de névoa e neblina: a imagem literária de paisagens do medo

  • Solange Lima Guimarães Universidade Estadual Paulista
Palavras-chave: Paisagem, Ciganos, Campo de Concentração

Resumo

Neste artigo buscamos o sentido da concretude e do simbólico concernentes às paisagens experienciadas pelos ciganos nos campos de concentração e extermínio, durante o período da II Guerra, revelando a percepção de uma topofobia. A experiência ambiental dos ciganos sempre foi constituída por sobressaltos em todos os caminhos (objetivos e subjetivos): a paisagem do medo é novamente instalada diante das incertezas, morte e perplexidades destas populações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Solange Lima Guimarães, Universidade Estadual Paulista
Docente aposentada do Depto. de Geografia, do Instituto de Geociências e Ciências Exatas, da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, onde exerceu a docência de 1985 até 2016. Atuou ainda no Programa de Pós-graduação em Geografia do IGCE-UNESP, orientando mestrados e doutorados. 
Publicado
2018-01-15
Como Citar
Guimarães, S. (2018). Paisagens de névoa e neblina: a imagem literária de paisagens do medo. Revista Geografia, Literatura E Arte, 1(1), 71-93. https://doi.org/10.11606/issn.2594-9632.geoliterart.2018.142142
Seção
Artigos