Analise da adesão às tendências da Ciência pelos repositórios institucionais brasileiros

Autores

  • Milton Shintaku Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - Ibict
  • Claudio Duque Universidade de Brasilia
  • Emir José Suaiden Universidade de Brasilia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v6i2p148-169

Palavras-chave:

Repositórios Institucionais, Tendências da Ciência, Dados Abertos, Arquivos Abertos, Acesso Aberto, Ciência Aberta, Curadoria Digital, e-science

Resumo

Repositórios institucionais tem se tornado o locus para depósito da produção acadêmica das universidades e institutos de pesquisa, tornando-se um instrumento valioso para a disseminação da informação científica. Entretanto, como ferramentas informatizadas, requerem constante atualização, vistos ao dinamismo tecnológico. Da mesma forma, por servir a disseminação da informação  científica, deve estar em consonância com as tendências da ciência. Nesse sentido, o presente estudo visa levantar e analisar a adesão dos repositórios brasileiros em relação a: Dados Abertos; Arquivos Abertos; Acesso Aberto; Ciência Aberta; Curadoria Digital e e-science. Para tanto, faz uso de uma abordagem quantitativa, utilizando um survey com os gestores dos repositórios institucionais brasileiros. Revelou-se, assim, um cenário ainda incipiente, mas promissor na adesão às tendências da Ciência, em que a maior adesão dá-se ao Acesso Aberto. Assim, o presente estudo contribui para a discussão sobre os repositórios institucionais brasileiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milton Shintaku, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - Ibict

Mestre em Ciência da Informação pela Universidade de Brasília- UnB e Coordenador de Articulação, Geração e Aplicação de Tecnologia do Ibict

Downloads

Publicado

2015-10-02

Como Citar

SHINTAKU, M.; DUQUE, C.; SUAIDEN, E. J. Analise da adesão às tendências da Ciência pelos repositórios institucionais brasileiros. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, [S. l.], v. 6, n. 2, p. 148-169, 2015. DOI: 10.11606/issn.2178-2075.v6i2p148-169. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/incid/article/view/89191. Acesso em: 4 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos