As meninas de Clarice Lispector e a tradução da infância em suas obras

Autores

  • Rosangela Fernandes Eleutério Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9826.literartes.2023.212007

Palavras-chave:

Clarice Lispector, protagonistas infantis, meninas, família

Resumo

O artigo tem por objetivo apresentar as personagens femininas infantis presentes nos textos de Clarice Lispector para compreender a infância das meninas dos anos 1920 - 1980 sob a ótica literária e histórica do Brasil durante esse período. A metodologia utilizada para a pesquisa foi uma revisão dos textos literários onde as protagonistas são meninas entre oito e dez anos, situadas em Recife, cidade onde a escritora viveu durante a infância. Para uma compreensão mais aprofundada da construção literária de Lispector, alguns teóricos são considerados como Alberto Manguel (2016), Maurice Blanchot (1969), Giorgio Agamben (2005, 2007, 2017). Georges Bataille (2016) e Judith Butler (2017) contribuem para uma compreensão filosófica sobre a escrita de si e a importância do resgaste da memória, enquanto Philippe Ariès (1973) faz algumas observações históricas sobre o contexto da época. O artigo tem como resultado um panorama sobre como as meninas, sobretudo a própria Clarice Lispector, aspiravam suas vidas como indivíduos autônomos, independentes, mas com o pesar da responsabilidade social que impunham às meninas e mulheres um padrão de comportamento que as angustiavam desde o fim da infância e início da puberdade, submetendo-as ao sistema patriarcal e conservador que lhes eram impostos.

Biografia do Autor

  • Rosangela Fernandes Eleutério, Universidade Federal de Santa Catarina

    Doutora em Estudos da Tradução pelo Programa de Pós-Graduação em Estudo da Tradução da
    Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis – SC.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. A comunidade que vem. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2017. Tradução Cláudio Oliveira.

AGAMBEN, Giorgio. Infância e história: destruição da experiência e origem da história. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005. Tradução de Henrique Burigo.

AGAMBEN, Giorgio. Profanações. São Paulo: Editora Boitempo, 2007. Tradução de Selvino José Assmann.

AIRÈS, Philippe. História social da criança e da família. Tradução de Dora Flaksman. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1978.

BATAILLE, George. A experiência interior: seguida de Método e Postcriptum 1953. Tradução Fernando Scheibe. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2016.

BLANCHOT, Maurice. O espaço literário. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

BORELLI, Olga. Clarice Lispector: Esboço de um possível retrato. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1981.

BUTLER, Judith. Relatar a si mesmo: Crítica da violência ética. Tradução Rogério Bettoni. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2017.

CURY, Maria Zilda Ferreira. “Memórias da imigração”. In Palavra e Imagem, memória e escritura. (Org.) Márcio Seligmann-Silva (Org.). Chapecó: Edirora Argos, 2006.

GOTLIB, Nádia Battella. Clarice: Uma vida que se conta. São Paulo: Ática, 1995.

KONDER, Leandro. O espírito poético da educação. In: NEVES, Margarida de Souza;

LÔBO, Yolanda Lima; MIGNOT, Ana Chrystina Venancio. Cecília Meirelles: A poética da educação. Rio de Janeiro: Editora Loyola, 2001.

KRISTEVA, Julia. O Gênio Feminino: A vida, a loucura, as palavras. Tomo I Hannah Arendt. Tradução Eduardo Francisco Alves. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 2002.

LISPECTOR, Clarice. Felicidade Clandestina. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 1998.

MANGUEL, Alberto. Uma história natural da curiosidade. Tradução de Paulo Geiger. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

MOSER, Benjamin. Clarice, uma biografia. Tradução José Geraldo Couto. São Paulo: Cosaf Naify, 2009.

Downloads

Publicado

2023-12-20

Como Citar

ELEUTÉRIO, Rosangela Fernandes. As meninas de Clarice Lispector e a tradução da infância em suas obras. Literartes, São Paulo, Brasil, v. 1, n. 19, p. 58–80, 2023. DOI: 10.11606/issn.2316-9826.literartes.2023.212007. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/literartes/article/view/212007.. Acesso em: 21 jul. 2024.