O legado de Stuart Hall para os estudos de recepção no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v10i3p159-172

Palavras-chave:

Stuart Hall, estudos de recepção, pesquisa brasileira

Resumo

O texto resgata o itinerário das contribuições de Hall ao campo da comunicação no país, em especial aos estudos de recepção. Discute como suas reflexões foram apropriadas pelas teses e dissertações da área defendidas nos programas de pós-graduação brasileiros entre 2000 e 2009. A análise revela a importância de Hall para consolidá-los no Brasil ao oferecer o insumo teórico e também metodológico em um contexto de expansão dos centros de pesquisa e de problemáticas abordadas. Suas ideias são adotadas de acordo com as demandas dos objetos de pesquisa, cuja multiplicidade denota a amplitude da contribuição do autor aos estudos de recepção brasileiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nilda Jacks, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Docente no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da UFRGS. Bolsista de Produtividade/ CNPq.

Laura Hastenpflug Wottrich, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da UFRGS

Referências

AZEVEDO, S. G. A propaganda institucional como formadora de atitudes. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2001.

BARBOSA, L. C. Louca paixão: questões raciais na telenovela sob o olhar do receptor. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, 2002.

BRAGAGLIA, A. P. Ética na propaganda sob o olhar do consumidor e suas significações: um estudo a partir de denúncias encaminhadas ao Conar. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, 2004.

BRANDALISE, R. Comunicação e cultura: Sementes híbridas em campos cercados na fronteira Brasil-Argentina. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

BREDARIOLI, C. M. M. Comunicação em rede, novos agentes socializadores e recepção/práticas culturais: o consumo de internet em lan-houses na periferia de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo) –, Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo, 2008.

BRIGNOL, L. Identidade cultural gaúcha nos usos sociais da internet: um estudo de caso sobre a página do gaúcho. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – UNISINOS, São Leopoldo, 2004.

CAMPOS, R. T. Jingle: informação e entretenimento – A recepção dos jingles pelos ouvintes da Gazeta FM. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Faculdade Cásper Líbero, São Paulo, 2008.

CANCLINI, N. G. Culturas híbridas: Estrategias para entrar y salir de la modernidad. México: Grijalbo, 1989.

CANCLINI, N. G. Introduction: antropologia y estudios culturales. Revista Alteridades, México, n. 5, p. 5-8, 1993.

CANCLINI, N. G. Los estudios culturales de los 80 a los 90: perspectivas antropológicas y sociológicas en América latina. Revista de Ciencias Sociales y Humanidades, Iztapalapa, n. 24, 1991.

CAPPARELLI, S. A ponte necessária: produção e audiência. In: FAUSTO NETO, A.; PINTO, M. J. Mídia e cultura. Rio de Janeiro: Diadorim, 1997. p. 131-138

CARDOSO, M. L. M. Máquinas de comunicação e máquinas-desejantes: televisão e produção de subjetividade. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2005.

CARVALHO, M. A recepção pelos paulistanos das mensagens midiáticas de divulgação do turismo na Bahia. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo) – Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo, 2009.

CARVALHO, M. P. S. Caravanas da identidade: um estudo de recepção sobre as representações feitas pela Caravana JN – por dentro da maior reportagem do Brasil e perto dos brasileiros. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

CEVASCO, M. E. Dez lições sobre estudos culturais. São Paulo: Boitempo, 2003.

CRUZ, F. A cultura da mídia no Rio Grande do Sul: O caso MST e Jornal do Almoço. Tese (Doutorado em Comunicação Social) – Pontífica Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

CUNHA, P. M.: A questão do popular na TV: interlocuções entre programas populares e telespectadores. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2005.

ESCOSTEGUY, A. C. D. Cartografia dos estudos culturais. Uma versão latino-americana. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

ESCOSTEGUY. Prefácio à edição on-line. In: ESCOSTEGUY, A. C. D. Cartografia dos estudos culturais. Uma versão latino-americana. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

FOLLARI, R. A. Teorías Débiles (Para una crítica de la deconstrucción y de los estúdios culturales). Rosário: Homo Sapiens, 2003.

GOMIDE, S. Representações das identidades lésbicas na telenovela Senhora do destino. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade de Brasília, 2006.

GUIMARÃES, C. TV em tela. Um estudo do telejornal DFTV da Rede Globo: da emissão à recepção. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

GUTBIER, M. S. Mídia e identidade regional: negociações da gauchidade na recepção das propagandas políticas no RS. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – UNISINOS, São Leopoldo, 2003.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. 9. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

______. Codificação/Decodificação. In: Hall, S.; Sovik, L. (Orgs.). Da Diáspora: Identidades e Mediações Culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003b. p. 365-381.

______. Encoding/decoding. In: HALL, S. et al. Culture, media, language. Hutchinson: Centre for Contemporary Cultura Studies (Ed.), 1980. p. 128 -138.

______. Encoding and Decoding in the Television Discourse. Centre for Cultural Studies, University of Birmingham, CCS Stenciled Paperno, v. 7, 1973.

______. Reflexões sobre o modelo de codificação/decodificação. In: HALL, S; SOVIK, L. (orgs.). Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003a. p. 353-386.

HALL, S.; SOVIK, L. (Orgs). Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

JACKS, N.; CAPPARELLI, S. (Coords.). TV, família e identidade. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006.

JACKS, N. et al. Meios e Audiências II: a consolidação dos estudos de recepção no Brasil. Porto Alegre: Sulina, 2014.

JACKS, N. et al. Meios e audiências: a emergência dos estudos de recepção no Brasil. Porto Alegre: Sulina, 2008.

JORDÃO; J. V. Beleza que põe mesa – a relação de trabalhadoras domésticas com mídia, beleza e consumo. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2008.

LAZARINI, L. Anjos e deuses suburbanos. Um estudo de recepção dos filmes cidade de deus e como nascem os anjos. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2005.LOPES, M. I. V. (Org.). Temas contemporâneos em comunicação. São Paulo: EDICON; INTERCOM, 1997.

MAIA, A. S. C. Telejornalismo e identidade: estudo de recepção do Jornal Nacional entre jovens da periferia de Juiz de Fora. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2009.

MARTÍN-BARBERO, J. De los medios a las mediaciones: comunicación, cultura y hegemonía. Barcelona: Gustavo Gili, 1987.

MARTÍN-BARBERO, J. Pistas para entrever meios e mediações. In: MARTÍN-BARBERO, J. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: UFRJ. 2003. p. 11-21.

MATTELART, A.; NEVEU, É. Introdução aos estudos culturais. São Paulo: Parábola, 2004.MESSA, M. R. P. As mulheres só querem ser salvas: Sex and the City e o pós-feminismo. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

NATANSOHN, L. G. Consultando médicos na televisão: meios de comunicação, mulheres e medicina. Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura Contemporâneas) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2003.

ORTIZ, R. Mundialização: saberes e crenças. São Paulo: Brasiliense, 2006.

PRYSTHON, . Cosmopolitismos periféricos. Recife: Bagaço, 2002.

REPOLL, J. L. Arqueología de los estudios culturales de audiencia. México: Universidad Autónoma de la Ciudad de México, 2010.

RETT, L. TV Regional no Vale do Paraíba – SP: expansão, aspectos da audiência e modos de inserção local. Tese (Doutorado em Comunicação Social) – Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2009.

ROCHE, F. L. de la. Estudios culturales, retos y perspectivas. In: JIMÉNEZ, J. E. J. (Comp.). Cultura, identidades y saberes fronterizos. Bogotá: Universidad Nacional de Colombia, 2005. p. 327-335.

RODRIGUES, J. Mídias e identidades culturais: um estudo da recepção midiática do Balé Folclórico de Teresina no Piauí. Tese (Doutorado em Comunicação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2006.

RONSINI, V. V. M. A crença no mérito e a desigualdade: a recepção da telenovela do horário nobre. Porto Alegre: Sulina, 2012.

SCHMITZ, D. M. Mulher na moda: recepção e identidade feminina nos editoriais de moda da revista Elle. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2007.

SCHNORR, J. M. Jovens rurais, corações urbanos: Jornal Nacional e as desigualdades sociais no campo. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2013.

SCHRAMM, L. D. A televisão e as múltiplas vozes dos adolescentes: um estudo de recepção sobre o assassinato do índio Galdino. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2003.

SCOSS, D. M. Navegar é preciso: pesquisa de recepção virtual através do estudo de caso do portal da Malhação. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

SIFUENTES, L. Telenovela e mediações culturais na conformação da identidade feminina de jovens de classe popular. Dissertação (Mestrado em Comunicação Midiática) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2009.

SILVA, C. E. L. Muito além do Jardim Botânico. Um estudo sobre a audiência do Jornal Nacional da Globo entre trabalhadores. São Paulo: Summus, 1985.

SILVA, L. A. Páginas da Vida, a família brasileira sob a ótica da recepção da telenovela. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2008.

SILVA, O. C. Domésticas – o filme: um estudo de recepção com profissionais do Distrito Federal. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

SILVA, R. C. Feminino Velado: a recepção da telenovela por mães e filhas das classes populares. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2011.

SILVA, T T. (Org.; Trad.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

SIMÕES, P. G. Mulheres apaixonadas e outras histórias: amor, telenovela e vida social. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2004.

SIQUEIRA, M. A. P. A desconstrução do fanfiction – a resistência e mediação na cultura de massa. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.

SOVIK, L. Apresentação: Para ler Stuart Hall. In: HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003. p. 9-21.

TONON, J. B. Recepção de telenovelas: identidade e representação da homossexualidade. Um estudo de caso da novela “Mulheres Apaixonadas”. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2005.

TUFTE, T. Living with the Rubbish Queen. Telenovelas, Culture and Modernity in Brazil. Luton: University of Luton Press, 2000.

WOTTRICH, L. Envelhecer com Passione: a telenovela na vida de idosas das classes populares. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa, 2011.

Publicado

2016-12-23

Como Citar

Jacks, N., & Wottrich, L. H. (2016). O legado de Stuart Hall para os estudos de recepção no Brasil. MATRIZes, 10(3), 159-172. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v10i3p159-172

Edição

Seção

Stuart Hall e a teoria da comunicação