Biopolítica feminista e estéticas subversivas

Autores

  • Ivanas Bentes Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v11i2p93-109

Palavras-chave:

Biopolíticas, teorias do gênero, estéticas, redes

Resumo

As questões políticas e estéticas que emergem da prática ativista feminista, expressa no estudo de caso que vamos analisar: imagens/fotografias/memes postados no perfil do Instagram da personagem/performer Ex-Miss Febem, criada pela artista e ativista Aleta Valente. Nesse contexto, refletiremos as noções de Beatriz Preciado de “tecnologias do gênero” e “contrassexualidade” na construção de um pós-feminismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivanas Bentes, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Professora do Programa de Pós Graduação em Comunicação da UFRJ

Referências

BENTES, I. Mídia-multidão: estéticas da comunicação e biopolíticas. Rio de Janeiro: Mauad X, 2015.

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

DELEUZE, G. Foucault. São Paulo: Brasiliense, 2005.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. O anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

______. História da sexualidade III: o cuidado de si. 8. ed. São Paulo: Graal, 1985.

______. História da sexualidade: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

HARAWAY, D. A cyborg manifesto: science, technology, and socialist-feminism in the late twentieth century. In: ______. Simians, cyborgs and women: the reinvention of nature. Nova Iorque: Routledge, 1991. p. 149-181.

PRECIADO, B. Testo yonqui. Madri: Espasa Calpe, 2008.

______. Manifesto contrassexual: práticas subversivas de identidade sexual. São Paulo: N-1 Edições, 2014.

Publicado

2017-08-31

Como Citar

Bentes, I. (2017). Biopolítica feminista e estéticas subversivas. MATRIZes, 11(2), 93-109. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v11i2p93-109

Edição

Seção

Dossiê