Massimo Leone:

comunicação digital, ontologia e semiótica

Palavras-chave: Entrevista, Massimo Leone, Semiótica

Resumo

Entrevista concedida pelo o professor titular da Università di Torino Massimo Leone.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clóvis Teixeira Filho, Universidade de São Paulo

Doutorando em Ciências da Comunicação na Universidade de São Paulo.

Referências

Barthes, R. (1975). Mitologias (R. Buongermino & P. Souza, Trads., 2a ed.). São Paulo, SP: Difel.

Derrida, J. (1974). Of Grammatology (G. C. Spivak, Trad.). Baltimore, MD: Johns Hopkins University Press.

Eco, U. (1975). Trattato di semiotica generale. Milão, Itália: Bompiani.

Eco, U. (1976). A theory of semiotics. Bloomington, IN: Indiana University Press.

Eco, U. (1983). Esiste la controcultura? In U. Eco, Sette anni di desiderio (pp. 217-231). Milão, Itália: Bompiani.

Eco, U. (1995). Os limites da interpretação. São Paulo, SP: Perspectiva.

Leone, M. (2015). To be or not to be Charlie Hebdo: Ritual patterns of opinion formation in the social networks. Social Semiotics, 25(5), 656-680.

Leone, M. (2018a). Designing imperfection: The semiotics of the pixel. Punctum, 4(1), 105-136.

Leone, M. (2018b). The semiotics of the face in the digital era. Perspectives, 17, 27-29.

Leone, M. (2019). On insignificance. Londres, Inglaterra e Nova York, NY: Routledge.

Lotman, Y. M. (1996). La Semiosfera I: Semiótica de la cultura y del texto (D. Navarro, Trad.). Valência, Espanha: Frónesis Cátedra.

Peirce, C. S. (1977). Semiótica (J. T. Coelho Neto, Trad.). São Paulo, SP: Perspectiva.

Publicado
2019-12-26
Como Citar
Teixeira Filho, C. (2019). Massimo Leone:. MATRIZes, 13(3), 129-135. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v13i3p129-135
Seção
Entrevista