Imprensa negra e cidadania: conteúdos do Correio Nagô, Mundo Negro e Nação Z

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v15i2p229-250

Palavras-chave:

Imprensa negra, Cidadania, Negro, Negritude, Mídia alternativa

Resumo

Este artigo discute a produção da imprensa negra no Brasil, do ponto de vista histórico e conceitual, dialogando com conceitos de cidadania e cidadania negra. Para tanto, apresenta-se um breve histórico da resistência negra, destacando a imprensa negra e os resultados de uma análise de conteúdo dos sites jornalísticos negros Nação Z, Mundo Negro e Correio Nagô, visando averiguar suas tendências temáticas e contribuições à ampliação da cidadania negra. As análises indicam uma importante contribuição da imprensa negra para a publicização de análises críticas sobre a situação do negro no Brasil, suas conquistas e direitos, bem como a priorização dessas temáticas favoráveis à igualdade social na busca pela ampliação da cidadania da população negra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valmir Teixeira Araujo, Universidade Metodista de São Paulo

Doutor em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo e integrante dos grupos de pesquisa Núcleo de Estudos de Comunicação Comunitária e Local (Comuni) e Núcleo de Pesquisa Jornalismo e Multimídia (Nepjor).

Cicilia Maria Krohling Peruzzo, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Professora visitante do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Coordena o Núcleo de Estudos de Comunicação Comunitária e Local (Comuni).

Referências

Almeida, S. (2018). O que é racismo estrutural. Letramento.

Araújo, V. T. (2019). Imprensa Negra na Internet: Enquadramentos dos conteúdos pelos sites Correio Nagô, Mundo Negro e Nação [Tese de doutorado, Universidade Metodista de São Paulo]. Repositório institucional da Umesp. https://bit.ly/36atzr3

Araújo, V. T., & Silva, P. S. (2017). Violência contra o negro e o noticiário brasileiro: estudo da cobertura dos portais G1 e R7 [Artigo apresentado]. 15º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, São Paulo, SP, Brasil. https://bit.ly/3wYkEoG

Bardin, L. (2016). Análise de conteúdo. Edições 70.

Bastide, R. (1983). Estudos afro-brasileiros. Perspectiva.

Carvalho, J. M. (2002). Cidadania no Brasil: O longo caminho (3a ed.). Civilização Brasileira.

Domingues, P. (2007). Movimento negro brasileiro: Alguns apontamentos históricos. Tempo, 12(23), 100-122. https://doi.org/10.1590/S1413-77042007000200007

Fonseca, P. (2018, 10 de julho). Corpo e ancestralidade: Como construir autoestima sendo negra de pela negra. Mundo Negro. https://bit.ly/3vSovlQ

Gomes, N. (2012). Movimento negro e educação: Ressignificando e politizando a raça. Educação & Sociedade, 33(120), 727-744. https://doi.org/10.1590/S0101-73302012000300005

Guimarães, A. S. (2012). Cidadania e retóricas negras de inclusão social. Lua Nova, (85), 13-40. https://doi.org/10.1590/S0102-64452012000100002

Laboratório de Demografia e Estudos Populacionais. (2019, 12 de março). Só existe uma raça e ela surgiu na África. Universidade Federal de Juiz de Fora. https://bit.ly/2SnaVce

Lage, N. (2001). A reportagem: Teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. Record.

Malia, A. (2018, 22 de novembro). Qual a diferença entre o cinema produzido por mulheres negras no Brasil e na África? Correio Nagô. https://bit.ly/3jadoC0

Marques de Melo, J., & Assis, F. de (Orgs.). (2010). Gêneros jornalísticos no Brasil. Universidade Metodista de São Paulo.

Marshall, T. H. (1963). Cidadania, classe social e status. Zahar.

Moura, C. (1977). O negro: De bom escravo a mau cidadão. Conquista.

Moura, C. (1990). Rebeliões da senzala: Quilombos, insurreições, guerrilhas. Mercado Aberto.

Moura, C. (2014). Dialética radical do Brasil negro (2a ed.). Anita.

Munanga, K. (1999). Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: Identidade nacional versus identidade negra. Vozes.

Nascimento, S. (2018, 9 de setembro). Racismo cotidiano leva ao estresse agudo, ansiedade e depressão. Mundo Negro. https://bit.ly/3zQOLjA

Peruzzo, C. M. K. (2005). Direito à comunicação comunitária, participação popular e cidadania. Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación, 2(3), 18-41. https://bit.ly/2StL6Yg

Peruzzo, C. M. K. (2008). Conceitos de comunicação popular, alternativa e comunitária revistados e reelaborações no setor. Palabra Clave, 11(2), 367-379. https://bit.ly/3jbQycW

Peruzzo, C. M. K. (2013) Comunicação nos movimentos sociais: o exercício de uma nova perspectiva de direitos humanos. Contemporânea: Revista de Comunicação e Cultura, 11(1), 138-158. https://bit.ly/3j4bent

Pinto, A. F. M. (2010). Imprensa negra no Brasil do século XIX. Selo Negro.

Ribeiro, D. (2017). O que é lugar de fala? Letramento.

Ricardo, M. (2018, 16 de novembro). CONSCIÊNCIA NEGRA: Jovens falam sobre identidade, racismo e resistências. Correio Nagô. https://bit.ly/3da1UKJ

Schwarcz, L. M. (2012). Racismo no Brasil. PubliFolha.

Sousa, L. G. (2018, 13 de novembro). Com o tema “Agbára Dúdú”, MAST celebra a Consciência Negra na XXVI Semana de Astronomia. Mundo Negro. https://bit.ly/3h2NUDH

Vieira, L. (2000). Cidadania e globalização (4a ed.). Record.

Publicado

2021-08-31

Como Citar

Araujo, V. T., & Peruzzo, C. M. K. (2021). Imprensa negra e cidadania: conteúdos do Correio Nagô, Mundo Negro e Nação Z. MATRIZes, 15(2), 229-250. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v15i2p229-250

Edição

Seção

Em Pauta/Agenda