A datificação de um campo de conhecimento

como algoritmos, números e abordagens quantitativas estão mudando a comunicação

  • Márcio Carneiro dos Santos Universidade Federal do Maranhão
Palavras-chave: Dados, Algoritmos, Comunicação

Resumo

Discute-se o impacto das transformações geradas pelo ecossistema digital dos meios no campo da comunicação, a partir da explosão quantitativa dos emissores, sustentada pela ubiquidade das redes e dispositivos tecnológicos de suporte à produção de conteúdo. Analisam-se, a partir das propostas da design science e da abordagem dos métodos digitais, as possibilidades de expansão epistemológica e metodológica, baseadas nas iniciativas interdisciplinares e na incorporação de novas habilidades na formação de profissionais e pesquisadores, para enfrentar a atual situação de excesso de dados e ferramental pouco adaptado para compreendê-la.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcio Carneiro dos Santos, Universidade Federal do Maranhão

• Doutor em Tecnologias da Inteligência e Design Digital (TIDD) pela Pontifícia Universidade
Católica de São Paulo (PUC-SP)
• Docente na Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Referências

AMADEU, Sérgio Amadeu da. Democracia e os códigos invisíveis: como os algoritmos estão modulando comportamentos e escolhas políticas. São Paulo: Edições Sesc, 2019. (Coleção Democracia Digital)

BONACICH, Phillip; LU, Phillip. Introduction to mathematical sociology. Princeton: Princeton University Press, 2012.

BRADSHAW, Paul. Scraping for journalists. Victoria: Leanpub, 2014.

BRUNS, Axel. Faster than the speed of print: reconciling big data social media analysis and academic scholarship. First Monday, Chicago, v. 18, n. 10, 2013. Disponível em https://bit.ly/2lYnryg. Acessado em: 23 jul. 2017.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CHWE, Michael S. Communication and coordination in social networks. The Review of Economic Studies, Oxford, v. 67, n. 1, p. 128-156, 2000. doi: 10.1111/1467-937X.00118.

CODDINGTON, Mark. Clarifying journalism’s quantitative turn. Digital Journalism, Abingdon, v. 3, n. 3, p. 331-348, 2015. doi: 10.1080/21670811.2014.976400.

DRESCH, Aline; LACERDA, Daniel; ANTUNES JÚNIOR, José Antonio do Valle. Design science research: método de pesquisa para avanço da ciência e tecnologia. Porto Alegre: Bookman, 2015.

FEENBERG, Andrew. Transforming technology: a critical theory revisited. New York: Oxford University Press, 2002.

GIBBONS, Michael et al. The new production of knowledge: the dynamics of science and research in contemporary societies. London: Sage, 1994.

GONZÁLEZ-BAILÓN, Sandra. Social Science in the era of Big Data. Policy and Internet, Hoboken, v. 5, n. 2, 2013. doi: 10.1002/1944-2866.POI328.

LE MOIGNE, Jean-Louis. Le constructivisme: tome 1: des fondements. Paris: ESF, 1994.

LEMOS, André. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 4. ed. Porto Alegre: Sulina, 2002.

LEWIS, Seth; WESTLUND, Oscar. Big data and journalism: epistemology, expertise, economics and ethics. Digital Journalism, Abingdon, v. 3, n. 3, 2015, p. 447-466. doi: 10.1080/21670811.2014.976418.

LIMA JUNIOR, Walter. Big data, jornalismo computacional e data jornalismo: estrutura, pensamento e prática profissional na Web de dados. Estudos em Comunicação, Covilhã, n. 12, p. 207-222, 2012. Disponível em: https://bit.ly/2lTuqIW. Acesso em: 21 jul. 2017.

MAHRT, Merja; SCHARKOW, Michael. The value of big data in digital media research. Journal of Broadcasting & Eletronic Media, Abingdon, v. 57, n. 1, 2013. doi: 10.1080/08838151.2012.761700.

MARCH, Salvatore; SMITH, Gerald. Design and natural science research on information technology. Decision Support Systems, v. 15, p. 251-266, 1995. doi: 10.1016/0167-9236(94)00041-2.

MANOVICH, Lev. The language of new media. Cambridge, MA: MIT Press, 2001.

MORETTI, Franco. Graphs, maps, trees: abstract models for literary history. New York, Verso, 2007.

RODRIGUES, Adriana Alves. Infografia Interativa em base de dados no jornalismo digital. 130f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

ROGERS, Richard. Digital methods. Cambridge, MA: MIT Press, 2013. E-book.

ROMME, A. Georges. Making a difference: organization as design. Organization Science, Catonsville, v. 14, n. 5, p. 558-573, 2003.

SANTAELLA, Lucia. Culturas e artes do pós-humano: da cultura das mídias à cibercultura. São Paulo: Paulus, 2003.

SANTOS, Márcio Carneiro. Conversando com uma API: um estudo exploratório sobre TV social a partir da relação entre o Twitter e a programação da televisão. Revista Geminis, São Carlos, v. 4, n. 1, p. 89-107,. 2013. Disponível em: https://bit.ly/2lTxjcK. Acesso em: 20 abr. 2013.

SANTOS, Márcio Carneiro. Textos gerados por software: surge um novo gênero jornalístico. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 37., 2014, Foz do Iguaçu. Anais […]. Foz do Iguaçu: Intercom, 2014. p. 1-15. Disponível em: https://bit.ly/2kOhJ1T. Acesso em: 26 jan. 2014.

SANTOS, Márcio Carneiro. Métodos Digitais: a internet e as redes como instrumentos de pesquisa. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 38., 2015, Rio de Janeiro. Anais […]. Rio de Janeiro: Intercom, 2015. p. 1-17. Disponível em: https://bit.ly/2lYMtxc. Acesso em: 29 jul. 2016.

SILVA, Tarcízio. Linha do tempo do racismo algorítmico. Blog do Tarcízio Silva, [s. l.], 2019. Disponível em: https://bit.ly/2kQHe2t. Acesso em: 20 ago. 2019.

SIMON, Herbert. The sciences of the artificial. 3. ed. Cambridge, MA: MIT Press, 1996.

VAN AKEN, Joan Ernest. The research design for design science research in management. Eindhoven: [s. n.], 2011.

VAN DIJCK, José. The culture of connectivity: a critical history of social media. New York: Oxford University Press, 2013.

VILCHES, Lorenzo. A migração digital. Rio de Janeiro: Editora PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2003.

WALLS, Joseph; WYIDMEYER, George; SAWY, Omar. Building an information system design theory for vigilant EIS. Information Systems Research, Catonsville, v. 3, n. 1, p. 36-60, 1992.

Publicado
2019-12-20