Feminismos plurais não podem excluir mulheres com deficiência!

Autores

  • Leandra Migotto Certeza Instituto Sedes Sapientiae

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-2593.organicom.2022.205827

Palavras-chave:

Feminismos plurais, Mulheres com deficiências, Capacitismos, Violências contra mulheres com deficiência, Lugar de fala

Resumo

Este artigo trata sobre como a avassaladora maioria das mulheres com deficiência ainda é completamente excluída das pautas feministas plurais ao redor do mundo. Infantilizadas, enxergadas de forma assistencialista e capacitista e tendo negado o direito de fazer suas próprias escolhas e/ou o respeito às suas particularidades e necessidades de acessibilidade, muitas são invisibilizadas por viverem em situação de pobreza e outras não são ouvidas, vivem amarradas em suas camas e não conseguem denunciar seus agressores físicos e sexuais, principalmente as negras, obesas, indígenas, bissexuais, lésbicas e/ou trans, visto que são triplamente discriminadas.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Leandra Migotto Certeza, Instituto Sedes Sapientiae

    Bacharel em Comunicação Social pela Universidade Anhembi Morumbi. Professora no curso “Diversidade – Aspectos da Deficiência na Prática”, do Instituto Sedes Sapientiae (SP), desde 2019. Premiada pelo “Projeto Fantasias Caleidoscópicas” da Associação Internacional para o Estudo da Sexualidade, Cultura e Sociedade, Peru, em 2007. Premiada no “Concurso de Periodismo y Comunicación” pela Sociedad para Todos, Colômbia, em 2003.

Referências

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União, Brasília, DF, p. 2, 7 jul. 2015. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 22 dez. 2022.

CAMPBELL, Fiona Kumari. Contours of ableism: the production of disability and abledness. London: Palgrave Macmillan, 2009.

CERTEZA, Leandra Migotto. Não quero ser tolerada! Exijo respeito! [S. l.], 21 set. 2021. Instagram: @vozesdiversas. Disponível em: https://www.instagram.com/tv/CUFacN3LJhQ/?utm_source=ig_web_copy_link. Acesso em: 27 dez. 2022.

CERTEZA, Leandra Migotto. Representatividade importa. Inclusive, [s. l.], 18 out. 2017. Disponível em: https://www.inclusive.org.br/arquivos/30695. Acesso em: 27 dez. 2022.

DEFICIÊNCIAS e diferenças, com Izabel Maria Maior (versão na íntegra legendada). [Campinas: Instituto CPFL], 2015. 1 vídeo (74 min). Publicado pelo canal Instituto Cpfl. Disponível em: https://vimeo.com/137872442. Acesso em: 22 dez. 2022.

DOREA, Guga. Síndrome de Down como você nunca viu: relato de um pai educador. São Paulo: Nelpa, 2022.

IBGE. Censo demográfico 2010: características gerais da população, religião e pessoas com deficiência: resultados da amostra. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

IPEA; FBSP. Atlas da violência 2018. Brasília, DF: Ipea; Rio de Janeiro: FBSP, 2018.

JANELA DA PATTY. 5 estereótipos que recaem sobre a mulher com deficiência. [S. l.], 1 jul. 2022. Instagram: @janeladapatty. Disponível em: https://www.instagram.com/p/CfeHoFyIegH/?utm_source=ig_web_copy_link. Acesso em: 27 dez. 2022.

OMS. Relatório mundial sobre a deficiência. São Paulo: Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, 2011. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/44575/9788564047020_por.pdf. Acesso em: 27 dez. 2022.

RÍOS-ESPINOSA, Carlos et al. “Eles ficam até morrer”: uma vida de isolamento e negligência em instituições para pessoas com deficiência no Brasil. Human Rights Watch, New York, 23 maio 2018. Disponível em: https://www.hrw.org/pt/report/2018/05/23/318010. Acesso em: 27 dez. 2022.

SATOW, Suely. Paralisado cerebral: construção da identidade na exclusão. 3. ed. rev. Taubaté: Cabral: Livraria Universitária, 2010.

SILENCIADAS: em busca de uma voz (direção e produção Flávia Pieretti e roteiro Ana Paula Cardoso). [Campo Grande: AMDEF], 2020. 1 vídeo (34 min). Publicado pelo canal AMDEF-MS. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=xa9moW4WawY. Acesso em: 22 dez. 2022.

VALE PCD. PcD e Queer: desafios da interseccionalidade. [S. l.], 28 jul. 2022. Instagram: @pcdvale. Disponível em: https://www.instagram.com/p/CgjpWGCOo2k/?utm_source=ig_web_copy_link. Acesso em: 27 dez. 2022.

VOZES DIVERSAS. Primeiro levante feminista – Leandra Caleidoscópica – 4/4: Poema “Viva o Corpo Diverso!”. [S. l.], 28 abr. 2021. Museu das Vozes. Instagram: @vozesdiversas. Disponível em: https://www.instagram.com/tv/COOArtLrNIY/?utm_source=ig_web_copy_link. Acesso em: 22 dez. 2022.

VOZES DIVERSAS. Ciclo “Levante Feminista”: ocupação Aline Prado – de 27/05 a 09/06. [S. l.], 6 jun. 2022. Museu das Vozes. Instagram: @vozesdiversas. Disponível em: https://www.instagram.com/p/Ced-Hpdrarh/?utm_source=ig_web_copy_link. Acesso em: 27 dez. 2022.

YES, we fuck. Direção: Antonio Centeno e Raúl de la Morena. Barcelona: [s. n.], 2015. 1 vídeo (54 min). Publicado pelo canal Yes, We Fuck. Disponível em: https://www.yeswefuck.org/. Acesso em: 27 dez. 2022.

Downloads

Publicado

2023-03-15

Como Citar

CERTEZA, Leandra Migotto. Feminismos plurais não podem excluir mulheres com deficiência!. Organicom, São Paulo, Brasil, v. 19, n. 40, p. 237–250, 2023. DOI: 10.11606/issn.2238-2593.organicom.2022.205827. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/organicom/article/view/205827.. Acesso em: 20 jun. 2024.