Lideranças e cuidado na gestão de riscos em organizações brasileiras

Autores

  • Rosângela Florczak de Oliveira Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Ana Karin Nunes Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Diego Wander da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-2593.organicom.2023.214606

Palavras-chave:

Comunicação organizacional, Relações públicas, Gestão de risco, Gestão de crise, Liderança

Resumo

Apontados como elementos que atrasam a gestão de riscos e de crise no Brasil, a cultura organizacional e as lideranças seguem constando na lista de entraves. Ao analisar a Pesquisa de Mercado: gestão de risco e crise, realizada pelo Grupo de Pesquisa Risco, Crise e Comunicação (RCCom), da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), o objetivo deste artigo é refletir sobre a atuação das lideranças nas estratégias de cuidado que caracterizam a gestão de riscos e a cultura preventiva às crises.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Rosângela Florczak de Oliveira, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

    Doutora e Mestre em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM) e Programa de Pós-Graduação em Teologia da PUCRS. E-mail: rosangela.florczak@pucrs.br.

  • Ana Karin Nunes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

    Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Mestre em Comunicação Social pela PUCRS. Professora e pesquisadora na Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação (Fabico), da UFRGS. E-mail: ana.karin@ufrgs.br

  • Diego Wander da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

    Doutor em Comunicação e Informação pela UFRGS e mestre em Comunicação Social pela PUCRS. Professor e pesquisador na Fabico, da UFRGS. E-mail: diego.wander@ufrgs.br.  

Referências

BAUMAN, Zygmunt; BORDONI, Carlo. Estado de crise. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

BECK, Ulrich. A metamorfose do mundo: novos conceitos para uma nova realidade. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

BECK, Ulrich. Sociedade de Risco: Rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Editora 34, 2011.

BHADURI, Raka M. Leveraging culture and leadership in crisis management. European Journal of Training and Development, [s. l.], v. 43, n. 5/6, 2019, p. 554-569. DOI: 10.1108/EJTD-10-2018-0109

BALANDIER, Georges. O social em tempos de incerteza. São Paulo: Edições SESC, 2019.

CASTELLS, Manuel. Ruptura: A crise da democracia liberal. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2018.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

CHANLAT, Jean-François. Gestão Empresarial-Uma Perspectiva Antropológica. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

DELOITTE. Cinco Pilares de Riscos Empresariais 2022. 7. ed. [S. l.]: Deloitte, 2022. Disponível em: https://www2.deloitte.com/br/pt/pages/risk/articles/cinco-pilares-riscos-empresariais.html. Acesso em: 20 jul. 2022.

GILLIGAN, Carol. Uma voz diferente: Teoria psicológica e o desenvolvimento feminino. Petrópolis: Vozes, 2021.

HUTCHINS, Holly; WANG, Jia. Organizational crisis management and human resource development: a review of the literature and implications to HRD research and practice. Advances in Developing Human Resources, London, v. 10, n. 3, p. 301-330, 2008.

KUPERMANN, Daniel; DEAN-GOMES, Gustavo. Sándor Ferenczi e os princípios para uma ética do cuidado. Revista Interacções, Santarém, v. 17, n. 59, p. 28-49. DOI: 10.25755/int.25100

LAZZARATO, Maurizio. As revoluções do capitalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

MOLINIER, Pascale. Salud y trabajo en trabajadores hospitalarios: cultura de la gestión, cultura del cuidado: una conciliación imposible. Revista Hospitalaria Niños, Buenos Aires, v. 57, n. 257, p. 132-140, 2015.

NUNES, Ana Karin; OLIVEIRA, Rosângela Florczak de. Crise, risco e comunicação: revisão da literatura e abordagens brasileiras de um campo em legitimação. In: CONGRESSO ABRAPCORP, 15., 2021, São Paulo. Anais […]. São Paulo: Associação Brasileira de Pesquisadores de Comunicação Organizacional e de Relações Públicas. Disponível em https://abrapcorp.org.br/anais2021/. Acesso em: 20 jul. 2022.

SCHEIN, Edgar H. Cultura organizacional e liderança. São Paulo: Atlas, 2009.

SHINYASHIKI, Roberto Tadeu; FISCHER, Rosa Maria; SHINYASHIKI, Gilberto. A importância de um sistema integrado de ações na gestão de crises. Revista Organicom, São Paulo, v. 4, n. 6, p. 149-159, 2007.

SIMÕES, Roberto Porto. Relações Públicas: função política. São Paulo: Summus, 1995.

TRONTO, Joan C. Who cares?: how to reshape a democratic politics. New York: Cornell University Press, 2015.

TRONTO Joan. Un Monde vulnérable. Pour une politique du care. Paris: La Découverte, 2009.

WHEATLEY, Margaret J. Liderança e a nova ciência: descobrindo ordem num mundo caótico. São Paulo: Cultrix, 2006.

WOLTON, Dominique. Informar não é comunicar. Porto Alegre: Sulina, 2011.

ZUBOFF, Shoshana. A era do capitalismo de vigilância: a luta por um futuro humano na nova fronteira do poder. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2020.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

OLIVEIRA, Rosângela Florczak de; NUNES, Ana Karin; SILVA, Diego Wander da. Lideranças e cuidado na gestão de riscos em organizações brasileiras. Organicom, São Paulo, Brasil, v. 20, n. 43, p. 121–132, 2023. DOI: 10.11606/issn.2238-2593.organicom.2023.214606. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/organicom/article/view/214606.. Acesso em: 24 jun. 2024.