Colonialidade do poder como meio de conhecimento: em torno de seus limites e potencialidades explicativas

Autores

  • Lucas Trindade da Silva Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2015.112458

Palavras-chave:

Decolonialidade, Colonialidade, Racialidade, Dependência

Resumo

Diante da crescente importância do giro decolonial, tanto dentro como fora do contexto latino-americano, buscaremos neste artigo um retorno aos seus fundamentos, a partir de uma leitura cuidadosa dos conceitos de colonialidade do poder/racialidade e de dependência histórico-estrutural no pensamento de Aníbal Quijano. Percebemos uma relação monocausal entre a persistência da racialidade em sociedades politicamente emancipadas (explanans) e a dependência latino-americana (explanandum). Ademais, concluímos ser fundamental a utilização da contribuição decolonial como instrumento para a formação conceitual ou como meio heurístico em cooperação com outras abordagens sobre a questão racial na América Latina, como a de Carlos Hasenbalg e a de Florestan Fernandes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Trindade da Silva, Universidade de Brasília

Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Paraíba. Mestre em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco. Doutorando em Sociologia na Universidade de Brasília

Downloads

Publicado

2015-12-17

Como Citar

Silva, L. T. da. (2015). Colonialidade do poder como meio de conhecimento: em torno de seus limites e potencialidades explicativas. Plural, 22(2), 204-221. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2015.112458