Análise da resposta cartesiana acerca de como pode a alma mover o corpo na Correspondência com Elisabeth

  • Beatriz Laporta Universidade de São Paulo
Palavras-chave: União substancial, Correspondência, Substância pensante, Substância extensa

Resumo

Trata-se de abordar uma das questões com mais desdobramentos que já foram dirigidas à filosofia cartesiana, a saber, como pode a alma mover o corpo, na carta endereçada a Elisabeth de 21 de maio de 1643. Isso
exige uma reflexão sobre como Descartes estabeleceu com tanta segurança a ordem das razões nas Meditações, e como colocou a união substancial dentro dela, pois na Correspondência afirmou-se que essa união não pode ser entendida pela razão.

Referências

ALQUIÉ, F. A filosofia de Descartes. Lisboa: Editorial Presença, 1969.
DESCARTES, R. As paixões da alma. In: Os pensadores. Trad. Bento Prado Jr. e Jacó Guinsburg. São Paulo: Abril Cultural, 1973.
_______________. Carta a Elisabeth de 21 de maio de 1643; Carta a Elisabeth de 28 de junho de 1643 . In: Os pensadores. Trad. Bento Prado Jr. e Jacó Guinsburg. São Paulo: Abril Cultural, 1973.
_______________. Tutte le lettere 1619-1650. Editor: Giuseppe Belgioso. Milão: Bompiani, 2005.
_______________. Princípios da Filosofia. Lisboa: Edições 70. 1997.
_______________. Meditações metafísicas. In: Os pensadores. Trad. Bento Prado Jr. e Jacó Guinsburg. São Paulo: Abril Cultural, 1973.
_______________. Descartes selon l’ordre des raisons. Vol. I, II. Paris: AUBIER, 1991.
LANDIM, R. F. Evidência e verdade no sistema cartesiano. São Paulo: Loyola, 1992.
_______________. Questões disputadas de metafisica e de crítica do conhecimento. Col. Philosophia. São Paulo: Discurso editorial, 2009.
LEWIS, R. G. La morale de Descartes. Paris: Quadrige/ Presses Universitaires de France, 1998.
TEIXEIRA, L. Ensaio sobre a moral de Descartes. São Paulo: Brasiliense, 1990.
Publicado
2018-12-20
Como Citar
Laporta, B. (2018). Análise da resposta cartesiana acerca de como pode a alma mover o corpo na Correspondência com Elisabeth. Primeiros Escritos, (9), 9-26. https://doi.org/10.11606/issn.2594-5920.primeirosescritos.2018.153042
Edição
Seção
Artigos