Assédio em A menina santa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2023.211077

Palavras-chave:

Feminismo, Assédio sexual, Espaço Público, Masculinidade

Resumo

 3 de junho de 2015: A marcha "Nem uma a menos", contra a violência de gênero e o feminicídio, é realizada em Buenos Aires e outras oitenta cidades argentinas. Embora o tema já estivesse presente nos debates sociais, a marcha dá uma voz poderosa não só para denunciar a violência contra a mulher, mas também para questionar como as relações afetivas entre homens e mulheres foram historicamente condicionadas. Desde seu primeiro curta-metragem, em 1995, Lucrecia Martel se concentrou na situação das mulheres e em sua percepção do afeto, como já haviam feito María Luisa Bemberg e Raúl de la Torre (cujo filme Heroína é citado em A menina santa). No entanto, Martel apresenta fatores ausentes na obra dos diretores anteriores: a vida provinciana, a violência extrema na família, o assédio sexual em espaços públicos, seus vínculos com a cultura popular e as reticências como forma narrativa do não dito e do oculto. Em 2004, La niña santa foi lançado. Neste artigo, analisarei o filme visto a partir da ruptura produzida pelo movimento 'Nem uma a menos', que transformou a forma como valorizamos, observamos e julgamos as relações afetivas entre homens e mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUILAR, Gonzalo. Otros mundos (Un ensayo sobre el nuevo cine argentino). Buenos Aires, Santiago: Arcos, 2006.

BUTLER, Judith. El género en disputa. El feminismo y la subversión de la identidad. Buenos Aires: Paidós, 2016.

CHRISTOFOLETTI BARRENHA, Natalia. A experiência do cinema de Lucrecia Martel. São Paulo: Alameda, 2013.

LAURETIS, Teresa de. Alicia ya no (Feminismo, semiótica, cine). Valência: Cátedra, 1992.

LEREE, Diego. Lobo suelto, cordero atado. Clarín, Buenos Aires, 17 julho 2003.

SEGATO, Rita. Las estructuras elementales de la violencia. Ensayos sobre género entre la antropología, el psicoanálisis y los derechos humanos. Buenos Aires: Prometeo, 2021.

Downloads

Publicado

2023-11-30

Como Citar

Aguilar, G. . (2023). Assédio em A menina santa. Brazilian Journal of Latin American Studies, 22(46), 174-186. https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288.prolam.2023.211077