Canção Purús: nacionalização e tribalização no sudoeste da Amazônia

Autores

  • Peter Gow Universidade de St. Andrews; Departamento de Antropologia Social

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0034-77012006000100013

Palavras-chave:

Overing, Amazônia indígena, música, historicidade, nacionalismo

Resumo

Tomando como ponto de partida a fala de um informante piaroa de Joanna Overing, o artigo analisa duas descrições de uma refeição no rio Purús no começo do século XX: uma canção piro e um ensaio breve de Euclides da Cunha. Contrastando as duas peças, referindo-as ao contexto do encontro dos ancestrais dos Piro com o celebrado escritor brasileiro, proponho os conceitos de "nacionalização" e "tribalização" como modos de ação simbólica. Nacionalização toma os eventos locais e os esquenta no tempo-espaço do Estado-Nação, enquanto tribalização desativa os perigos potenciais dos eventos locais. O primeiro lembra, o segundo esquece. Nesses dois modos de ação simbólica estão dois modos de filosofia política, como notou o informante piaroa de Overing.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-01-01

Como Citar

Gow, P. (2006). Canção Purús: nacionalização e tribalização no sudoeste da Amazônia . Revista De Antropologia, 49(1), 431-464. https://doi.org/10.1590/S0034-77012006000100013

Edição

Seção

Seção Especial