A cidade como museu de si mesma: registro, acervo e (re) exposição

Autores

  • Giovanna Casimiro Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-8354.v6i6p139-150

Palavras-chave:

museu, cidade, memória digital, cultura digital, arte urbana

Resumo

Este artigo apresenta uma perspectiva sobre as dinâmicas de compartilhamento digital de memórias que evidenciam o gradual deslocamento do sistema museológico para a cidade. Objetiva-se discutir a condição da cidade contemporânea como museu a céu aberto a partir das interfaces digitais móveis, apontando para a obsessão de registro, arquivamento, curadoria e exibição coletiva de acervos digitais em tempo real. Discute-se o mapeamento da cidade por meio das memórias coletivas e seus respectivos valores, em uma discussão sobre o espaço urbano como local de arquivamento e re exposição de si mesmo, em novas perspectivas curatoriais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-03-30

Como Citar

Casimiro, G. (2019). A cidade como museu de si mesma: registro, acervo e (re) exposição. Revista ARA, 6(6), 139-150. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8354.v6i6p139-150