Imagem sobrevivente

  • Paulo Eduardo Barbosa Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Imagem, Sintoma, Expografia, Recepção, Fantasma

Resumo

Proponho neste artigo a necessidade de se atualizar questões ao se expor em espaço museal conjunto de imagens ampliadas, considerando a expografia como uma das determinantes da possibilidade de análise e fruição da imagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CHARTIER, Roger. O mundo como representação. Revista de Estudos Avançados. Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo, 1991, v. 5, nº 11, p. 173-191.

CORBUSIER, L. Por uma arquitetura. São Paulo: Perspectiva, 2011.

DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha. São Paulo: Editora 34, 2010.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente: história da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013. 143

PAULO EDUARDO BARBOSA REVISTA ARA N º 9. PRIMAVERA+VERÃO, 2020 • DOSSIÊ GRUPO MUSEU/PATRIMÔNIO FAU-USP http://www.museupatrimonio.fau.usp.br

HALL, Stuart. Codificação/decodificação. In: Sovik, L. (org.). Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003, p. 365-380.

HERBST, H. Pelos salões das bienais, a arquitetura ausente dos manuais: expressões da arquitetura brasileiras expostas nas bienais paulistanas (1951-1959), Ano de Depósito. Tese (Doutorado em 2007). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAUUSP, São Paulo, 2007.

Publicado
2020-05-31
Como Citar
Barbosa, P. (2020). Imagem sobrevivente. Revista ARA, 9(9), 125 - 143. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8354.v9i9p125-143