OS LIMITES DA MÚSICA NO RENASCIMENTO SEGUNDO A PRECEPTIVA DE GIOSEFFO ZARLINO (1517-1590)

  • Delphim Rezende Porto Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Teoria musical, análise, Renascimento italiano, Gioseffo Zarlino, retórica musical

Resumo

Esse artigo aborda a preceptiva elaborada por Gioseffo Zarlino, músico e tratadista ativo em Veneza no século XVI, a respeito da extensão e limite do conceito de ‘Música’ difundido literariamente especialmente nas “Instituições Harmônicas” – tratado publicado pelo autor entre 1558 e 1589. Encomiada pela perfeição alcançada em seu tempo, enquanto Arte e Ciência, a Música representa ali mais que o exercício dos sons, mas uma série de conhecimentos extrínsecos ao senso hodierno ligado quase que exclusivamente à performance. Coligindo e traduzindo as mais relevantes passagens referentes ao assunto, pretendemos oferecer um panorama epistemológico das chamadas “Divisões da Música”, que são os fundamentos genéticos da produção musical no Renascimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-10-21
Como Citar
Porto, D. (2018). OS LIMITES DA MÚSICA NO RENASCIMENTO SEGUNDO A PRECEPTIVA DE GIOSEFFO ZARLINO (1517-1590). Revista Música, 18(especial), 49-68. https://doi.org/10.11606/rm.v18iespecial.151028