Perfil da produção científica sobre música e idosos: uma revisão bibliométrica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/rm.v23i1.211332

Palavras-chave:

idosos, música, bibliometria

Resumo

Contexto: A música tem se mostrado como uma alternativa viável na melhoria e manutenção da qualidade de vida da população idosa. Objetivo: investigar o perfil da produção científica sobre os temas Música e Idosos no período de 2018 e 2022.  Método: foi utilizado o método de revisão do tipo bibliométrica, demonstrando as leis de Lotka, Bradford e Zipf. A busca foi realizada com recorte temporal de 2018 a 2022, com os descritores music, oldert adults, elderly, senior e aged em documentos de acesso aberto da base científica Web of Science. Resultados: A busca na base de dados resultou em 1738 documentos, 1479 artigos completos e 135 revisões da literatura. As principais autoras sobre o tema no período foram Daisy Fancourt (Reino Unido) e Felicity Anne Baker (Austrália). Os Estados Unidos da América foi o país mais produtivo. A principal revista foi a Frontiers in psych com 358 publicações no período. As principais palavras-chave foram Music, Music therapy e Dementia. Conclusões: foi possível perceber a música sendo utilizada para tratamento dos Transtornos Neurocognitivos (leve e maior), do mal de Alzheimer, cognição e memória, e que a musicoterapia estudou tratamentos para a qualidade de vida, saúde e bem-estar, particularmente no tratamento dos sintomas de stress, depressão e ansiedade. A consistência dos resultados permite a indicação de revisões sistemáticas da literatura sobre os tratamentos de desordens neurocognitivas a partir do uso de música para população idosa.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diogo de Souza Mendonça, Universidade Estadual do Paraná - Campus Curitiba II

Graduado em Musicoterapia na Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) Campus Curitiba II FAP - Faculdade de Artes do Paraná. É bolsista de iniciação científica pelo CNPq. Participa do Grupo de Pesquisa: Qualidade de Vida, Envelhecimento Humano, sob a coordenação e orientação da Profa. Dra. Gislaine Cristina Vagetti (UNESPAR). As principais áreas de estudo e pesquisa são a Música, Composição Musical, Musicoterapia, Qualidade de Vida, Envelhecimento Humano, Saúde.

Lydio Roberto Silva, Universidade Estadual do Paraná - Campus Curitiba II

Doutorando em Educação pela UFPR, no Programa de Pós Graguação em Educação na Linha de Pesquisa em Cognição, Aprendizagem e Desnvolvimento Humano; Mestre em Engenharia da Produção (Mídia e Conhecimento) pela Universidade Federal de Santa Catarina (2001); eespecialista em Educação Especial (PUCPR/1988)) e em Fundamentos Estéticos da Arte Educação (FAP/1991); licenciado em Música (1987) e bacharel em Musicoterapia (1989) pela Faculdade de Educação Musical do Paraná (1987). Membro do Grupo de Pesquisa em Envelhecimento Humano da UFPR e do Grupo de Pesquisas Interdisciplinares em Musicoterapia da UNESPAR. Atualmente é Prof. assistente do Curso de Musicoterapia da UNESPAR / Faculdade de Artes do Paraná (FAP) .Também é Prof. convidado da UTFPR onde ministra os módulos de Música e Hibridismos e Práticas Artísticas no curso de pós-graduação Lato Sensu em Artes Híbridas. Músico, compositor e musicoterapeuta, tem experiência na área de Educação, em especial Arte-Música e suas principais produções e cursos estão voltados aos temas da Musicoterapia (Hospitalar), música, educação e folclore. Apresentou entre 2011 e 2015 o programa televisivo de música brasileira (Terra Canção) e mais um programa radiofônico - Palpite Sonoro - ambos na Rádio e TV ( É-Paraná) , emissora pública do governo do Estado do Paraná. Autor de livros e CDs também atua como produtor fonográfico e é coordenador do grupo de vivências musicais Coisas de Alice, membro da equipe Pedagógica da Cântaro Arte-Educação e Cultura e é integrante do Movimento Brasileiro da Canção Infantil.

Valdomiro de Oliveira, Universidade Federal do Paraná

Doutor e Mestre em Educação Física pela Unicamp/SP. Área de concentração - Ciências Pedagógicas da Educação Física. Na Linha de Pedagogia do Esporte sob a Orientação do Prof. Dr. Roberto Rodrigues Paes. Professor Associado do Departamento de Educação Física - UFPR, onde ministra as Disciplinas: Pedagogia do Esporte e Basquetebol na Graduação. Estágio Pós Doutoral em Ciências Pedagógicas da Educação Física e do Desporto pelo Instituto de Cultura Física de Moscou/Rússia. Especialista em Ciências Pedagógicas do Treinamento Desportivo Unopar - Londrina. Professor dos Programas de Pós-graduação stricto-sensu em Educação na linha de Cognição Aprendizagem e Desenvolvimento Humano. Desenvolve os seguintes projetos no programa de Pó-graduação em Educação: Teoria bioecológica de Bronfrenbrenner e suas relações com a Educação Física e o esporte. - Cognição, Aprendizagem e Desenvolvimento na Educação Física e no Esporte - Educação, cognição, qualidade de Vida no Envelhecimento Humano. Desenvolve os projetos no programa de Pó-graduação em Educação Física: Atividade Física, saúde e qualidade de vida no esporte. Ministra as disciplinas - Seminário de Doutorado em Cognição, aprendizagem e desenvolvimentismo humano - Tópicos especiais em cognição, aprendizagem e desenvolvimento na ótica de Gardner e Bronfrenbrenner e Movimento e envelhecimento Humano no Mestrado/Doutorado do PPGE na UFPR.. Integrante da AMPED e do CBCE, entidades cientificas reconhecidas no Brasil e no exterior. Líder do Centro de Pesquisa em Educação e Pedagogia do Esporte (CEPEPE) - UFPR. com relações de pesquisas com instituições internacionais como Rússia, EUA e Portugal. Vice líder do Grupo de pesquisa em envelhecimento humano - PPGE, UFPR. Integrante do Centro de Estudos em Atividade Física e Saúde - UFPR e do Grupo de Pesquisa em Pedagogia do Esporte - UNICAMP. Orienta Iniciação Científica na UFPR com apoio do Cnpq. Premio Literatura Esportiva no Orgulho Paranaense de 2011. Possui Livros educativos para diversos esportes, capítulos de livros e artigos no Brasil e em vários Países. Ministra cursos no Esporte nas áreas de: Esporte Educacional -Treinamento Desportivo na infância e adolescência - Pedagogia do Esporte e Basquetebol. Defendeu a Tese de Doutorado e Dissertação de Mestrado em Ensino-Aprendizagem-Treinamento dos Esportes Coletivos com pesquisa específica no ensino-treinamento do Basquetebol. Vice-chefe do departamento de Educação Física DEF- UFPR, 2009-2012. Professor de escolas estaduais e particulares. Técnico de basquetebol em formação de atletas por muitos anos. Atleta do Paraná em competições de nível nacional e internacional no basquetebol. Coordenador dos projetos de pesquisa em Cognição aprendizagem em Educação Física e esporte e também em Qualidade de Vida de Aletas de não atletas. Orientador do programa de desenvolvimento educacional PDE de 2009 até 2015. Diretor científico da Editora Apriss Curitiba desde 2016 na coleção: Educação Física e esporte.

Gislaine Cristina Vagetti, Universidade Estadual do Paraná - Campus Curitiba II

Doutora em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná - UFPR (2012). Mestrado com pesquisa em processo ensino-aprendizagem na educação física para idosos, pela Universidade Estadual de Maringá - UEM (2006). Professora Associada da Universidade Estadual do Paraná, Curitiba, Campus II, onde ministra as disciplinas: Crescimento e Desenvolvimento Humano; Consciência Corporal; Metodologia da Pesquisa e Escrita de Artigo Científico. Orienta Iniciação Científica na UNESPAR, com apoio do CNPq e Fundação Araucária. Professora do Programa de Pós-Graduação Stricto-Sensu em Educação (UFPR), na linha Cognição Aprendizagem e Desenvolvimento Humano, com o projeto Educação, Cognição e Qualidade de vida no Envelhecimento humano. Ministra a disciplina Tópicos especiais em cognição, aprendizagem e desenvolvimento: Movimento e envelhecimento Humano. Líder do Grupo de Pesquisa em Envelhecimento Humano (GPEH) da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR). Vice-líder do Centro de Pesquisa em Educação e Pedagogia do Esporte (CEPEPE) da UFPR. Membro do grupo de pesquisa em Cognição, Aprendizagem e Desenvolvimento Humano (UFPR) e do Grupo de Estudos e Pesquisas Interdisciplinares em Musicoterapia (NEPIM) da UNESPAR. Possui relações de pesquisas com instituições internacionais como EUA e Portugal. Possui Livros, capítulos de livros e artigos no Brasil e em vários Países. Membro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED). Membro do Conselho Estadual dos Direitos do Idoso do Paraná - CEDI/PR (Decreto 3887). Membro da Rede Paranaense de pesquisa na área da pessoa idosa - PORTARIA No 143/2020-SETI. Chefe do Departamento de Educação Física e Coordenadora do Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE) na UNESPAR, Campus de Paranavaí (2008-2009); Coordenadora de Estágio e Coordenadora da Secretaria Acadêmica da UNESPAR, Campus II, Curitiba (2010-2011).

Referências

ARAÚJO, C. A. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 11-32, jan./jun. 2006. https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2007v2n1.8023.

ARGIMON, I. I. D. L.; STEIN, L. M. Habilidades cognitivas em indivíduos muito idosos: um estudo longitudinal. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 64-72, jan.-fev. 2005.

ARIA, M.; CUCCURULLO, C. Package bibliometrix: Comprehensive Science Mapping Analysis. Bibliometrix. [S.l.], p. 1-67. 2021.

BEIRA, J. C. et al. INDICADORES BIBLIOMÉTRICOS NA PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM PERIÓDICOS BRASILEIROS DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 25, n. 2, p. 383-408, abr./jul. 2020. ISSN 1414-0594. Disponivel em: <https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/1660>. Acesso em: 03 julho 2021.

BRASIL. Censo demográfico: 2010: educação e deslocamento: resultados da amostra. IBGE. Rio de Janeiro, p. 1-205. 2010. (01043145).

CASSETTARI, R.-R.-B.; PINTO, A.-L.; RODRIGUES, R.-S. Comparação da Lei de Zipf em conteúdos textuais e discursos orais. El profesional de la información, v. 24, n. 2, p. 157-167, mar./abr. 2015. ISSN 1699-2407. Disponivel em: <https://revista.profesionaldelainformacion.com/index.php/EPI/article/download/34736/18809>. Acesso em: 07 agosto 2022.

COBO, M. J. et al. SciMAT: A New Science Mapping Analysis Software Tool. J Am Soc Inf Sci Tec, v. 63, n. 8, p. 1609-1630, 2012. https://doi.org/10.1002/asi.22688.

COPE. Guidelines on good publication practice. Committee on Publication Ethics (COPE). [online], p. 43-47. 1999.

CREECH, A. et al. The Power of Music in the Lives of Older Adults. Research Studies in Music Education, v. 35, n. 1, p. 87-102, Jun. 2013. Disponivel em: <https://eric.ed.gov/?id=EJ1076886>. Acesso em: 17 jan. 2022.

CUNHA, R. Musicoterapia na abordagem do portador de doença de Alzheimer. Revista Cientí¬fica/FAP, v. 2, jan./dez. 2007. Disponivel em: <https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/revistacientifica/article/view/1733>. Acesso em: 17 Jan 2022.

CUNHA, R.; ARRUDA, ; SILVA, S. M. D. Homem, música e musicoterapia. Revista do Núcleo de Estudos e Pesquisas Interdisciplinares em Musicoterapia, Curitiba, v. 1, p. 1-141, jul. 2010. Disponivel em: <https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/168>. Acesso em: 17 jan. 2022.

DUNPHY, K. et al. Creative Arts Interventions to Address Depression in Older Adults: A Systematic Review of Outcomes, Processes, and Mechanisms. Front. Psychol., v. 9, n. 2655, p. 1-24, 2019. http://doi.org/10.3389/fpsyg.2018.02655.

FANCOURT, D. et al. How do artistic creative activities regulate our emotions? Validation of the Emotion. PLoS ONE, v. 14, n. 2:e0211362, p. 1-22, 2019. https://doi.org/10.1371/journal.

FANCOURT, D.; STEPTOE, A. Community group membership and multidimensional subjective well-being in older age. J Epidemiol Community Health, v. 72, p. 376–382, 2018. http://dx.doi.org/10.1136/jech-2017-210260.

FLORES-GOMES, G. et al. A DANÇA E A CULTURA SOB UM “OLHAR” DE PAULO FREIRE. ANAIS DO II CONGRESSO INTERNACIONAL PAULO FREIRE: O LEGADO GLOBAL. Belo Horizonte, p. 1-5. 2018. DOI: 10.17648/paulofreire-2018-89598.

FLORES-GOMES, G. et al. Educação em Saúde para Idosos: um protocolo de revisão bibliométrica da produção científica de 2017 a 2021. Curitiba. 2021. http://dx.doi.org/10.17605/OSF.IO/BF9P8.

FRUCHTERMAN, T. M. J.; REINGOLD, E. M. Graph Drawing by Force-directed Placement. SOFTWARE—PRACTICE AND EXPERIENCE. Urbana-Champaign, University of Illinois, p. 1129-1164, Novembro 1991. DOI: https://doi.org/10.1002/spe.4380211102.

GOLD, C. et al. Music Interventions for Dementia and Depression in ELderly care (MIDDEL): protocol and statistical analysis plan for a multinational cluster-randomised trial. BMJ Open, v. 9, n. e023436, p. 1-14, 2019. http://doi.org/10.1136/bmjopen-2018-023436.

GOMES, G. F. Efeitos de um programa de inclusão digital nas funções cognitivas e qualidade de vida de idosos. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2019. Disponivel em: <https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/61422>. Acesso em: 12 julho 2021. Dissertação (Mestrado em Educação).

GREGORIO-CHAVIANO, O.; LIMAYMANTA, C. H.; LÓPEZ-MESA, E. K. Análisis bibliométrico de la producción científica latinoamericana sobre COVID-19. Biomédica, v. 40, n. 2, p. 104-115, 2020. http://dx.doi.org/10.7705/biomedica.5571.

KANSO, S. Processo de Envelhecimento Populacional – um panorama mundial. VI Workshop de análise ergonômica do trabalho, III Encontro Mineiro de Estudos em Ergonomia 2013. Viçosa, p. 1-23. 2013. Disponível em: https://www.workshop-ded.ufv.br/wp-content/uploads/Solange-Kanso.pdf Acesso: 17 jan. 2022.

LEE, K. H.; LEE, J. Y.; KIM, B. Person-Centered Care in Persons Living with Dementia: A Systematic Review and Meta-analysis. Gerontologist, v. 62, n. 4, p. 253-264, 2022. ttp://doi.org/10.1093/geront/gnaa207.

MUGNAINI, R.; FUJINO, A.; KOBASHI, N. Y. Bibliometria e cientometria no Brasil: infraestrutura para avaliação da pesquisa científica na era do Big Data. São Paulo: ECA/USP, 2017. 218 p. ISBN 978-85-7205-170-5. DOI: 10.11606/9788572051705.

NERI, A. L. Maturidade e velhice: Trajetórias individuais e socioculturais. 1ª. ed. Campinas: Papyrus, 2001. 200 p. ISBN 85-308-0630-1. Coleção Vivaidade.

SEKEFF, M. D. L. Da música, seus usos e recursos. 2ª. ed. São Paulo: Editora Unesp, 2007. 190 p. Disponivel em: <http://bds.unb.br/handle/123456789/306>. Acesso em: 17 janeiro 2022.

SIKKES, S. A. M. et al. Toward a theory-based specification of non-pharmacological treatments in aging and dementia: Focused reviews and methodological recommendations. Alzheimer’s Dement., v. 17, p. 255–270, 2021. http://doi.org/10.1002/alz.12188.

SILVA, V. R. F. D.; MAYWORM, P. B. Indicadores bibliométricos de colaboração científica na área de enfermagem do trabaho. Rev. Eletr de Cien. Tecnol e Inova, Rio de Janeiro, v. 10, p. 36-54, abril 2020. http://dx.doi.org/10.9789.

SLOBODA, J. A. A mente musical: psicologia cognitiva da música. Tradução de Beatriz ILari e Rodolfo Ilari. Londrina: EDUEL, 2008. 384 p. ISBN 978-85-7216-468-9.

TAMPLIN, J. et al. Remini-Sing: A Feasibility Study of Therapeutic Group Singing to Support Relationship Quality and Wellbeing for Community-Dwelling People Living with Dementia and Their Family Caregivers. Front. Med., v. 5, n. 245, p. 1-10, 2018. http://doi.org/10.3389/fmed.2018.0024.

TYMOSZUK, U. et al. Cross sectional and longitudinal associations between receptive arts engagement and loneliness among older adults. Social Psychiatry and Psychiatric Epidemiology, v. 55, p. 891–900, 2020. https://doi.org/10.1007/s00127-019-01764-0.

TYMOSZUK, U. et al. Longitudinal Associations Between Short-Term, Repeated, and Sustained Arts Engagement and Well-Being Outcomes in Older Adults. J Gerontol B Psychol Sci Soc Sci, v. 75, n. 7, p. 1609–1619, 2020. http://doi.org/10.1093/geronb/gbz085.

VAGETTI, G. C. et al. Domínios da qualidade de vida associados à percepção de saúde. Cad. Saúde Pública [online], v. 29, n. 5, p. 955-969, 2013. ISSN ISSN 1678-4464.

WANG, S.; MAK, H. W.; FANCOURT, D. Arts, mental distress, mental health functioning & life satisfaction: fixed effects. BMC Public Health, v. 20, n. 208, p. 1-9, 2020. https://doi.org/10.1186/s12889-019-8109-y.

WEINBERGER, N. N. Specific long-term memory traces in primary auditory cortex. Nat Rev Neurosci, v. 5, p. 279-290, Apr. 2004. https://doi.org/10.1038/nrn1366.

Downloads

Publicado

2023-09-01

Como Citar

Mendonça, D. de S. ., Flores-Gomes, G., Silva, L. R. ., Oliveira, V. de, & Vagetti, G. C. . (2023). Perfil da produção científica sobre música e idosos: uma revisão bibliométrica. Revista Música, 23(1), 557-575. https://doi.org/10.11606/rm.v23i1.211332