Indicadores de saúde entre idosos ativos e insuficientemente ativos residentes em áreas rurais

Autores

  • Lélia L. T. Pinto Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • João S. Leal Neto
  • Saulo V. Rocha Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Departamento de Saúde II
  • Lélia R. C. Vasconcelos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Departamento de Saúde II
  • Mateus C. Santos
  • Diego A. S. Silva Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v48i6p580-588

Palavras-chave:

Atividade Física. Idoso. Condições de Saúde. Saúde da População Rural

Resumo

Modelo do estudo: Estudo transversal. Objetivo do estudo: Analisar a associação entre indicadores de saúde em idosos ativos e insuficientemente ativos. Metodologia: Estudo realizado em indivíduos com 60 anos ou mais, residentes na área rural de Jequié – BA, Brasil, cadastrados no programa Estratégia Saúde da Família do distrito de Itajurú. Foram analisadas as características sociodemográficas, comportamentais, estado de saúde, histórico de quedas, estado cognitivo e Índice de Massa Corporal (IMC). Para análise dos dados, utilizaram-se procedimentos da estatística descritiva, testes Qui-quadrado, teste “t” para amostras independentes e U de Mann-Whitney (nível de significância utilizado pd”0,05). Resultados: Foram entrevistados 95 idosos, sendo 55 mulheres e 40 homens com idade entre 60 e 96 anos (73,5 ± 9,4). A prevalência de inatividade física foi de 40%, mostrando-se superior entre os idosos que relataram viver sozinho, que apresentaram déficit cognitivo, que não sabiam ler e escrever, e com histó- rico de quedas no último ano. Os idosos mais jovens e com menor IMC eram mais ativos, quando comparados com seus pares. Conclusão: Os idosos que não alcançaram as recomendações de níveis adequados de atividade física apresentaram condições de saúde mais desfavoráveis. Recomenda-se a implementação de políticas públicas para promoção da atividade física no intuito de melhorar as condi- ções de saúde, em especial os idosos residentes de áreas rurais

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lélia L. T. Pinto, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Doutoranda em Enfermagem e Saúde – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Jequié / BA

Saulo V. Rocha, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Departamento de Saúde II

Mestre em Ciências Ambientais. Professora Assistente do Departamento de Saúde II - UESB

Lélia R. C. Vasconcelos, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Departamento de Saúde II

Mestre em Ciências Ambientais. Professora Assistente do Departamento de Saúde II - UESB

Diego A. S. Silva, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Educação Física. Professor Adjunto - UFSC

Downloads

Publicado

2015-12-20

Como Citar

1.
Pinto LLT, Leal Neto JS, Rocha SV, Vasconcelos LRC, Santos MC, Silva DAS. Indicadores de saúde entre idosos ativos e insuficientemente ativos residentes em áreas rurais. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 20 de dezembro de 2015 [citado 15 de agosto de 2022];48(6):580-8. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/114951

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share