Transformação de tumor filóide benigno em maligno

Autores

  • Adrienne Pratti Lucarelli Irmandade da Santa Casa de São Paulo. Departamento de Obstetrícia e Ginecologia
  • Maria Marta Martins Irmandade da Santa Casa de São Paulo. Departamento de Obstetrícia e Ginecologia
  • Maria Antonieta Longo Galvão Irmandade da Santa Casa de São Paulo. Departamento de Anatomia Patológica
  • José Mendes Aldrighi Irmandade da Santa Casa de São Paulo. Departamento de Obstetrícia e Ginecologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v48i6p628-633

Palavras-chave:

Tumor Filoide. Expressão Gênica. Progressão da Doença. Transformação Celular Neoplásica

Resumo

Importância: tumor filóide da mama é uma neoplasia fibroepitelial rara na qual as características clínicas permanecem insuficientes para determinação de um diagnóstico pré-operatório e com comportamento clínico imprevisível para determinação do tratamento ideal. Há poucos casos publicados envolvendo a transformação maligna de tumor filóide benigno. Esses tumores devem ser suspeitados em pacientes com nódulos de crescimento rápido para evitar uma abordagem inapropriada. Objetivo: Documentar um caso de transformação de tumor filóide benigno em maligno. Metodologia: mulher de 23 anos apresentou há 2 meses história de massa palpável na mama esquerda com rápido crescimento há poucos meses. Não possuía antecedente pessoal ou familiar de câncer de mama. A paciente foi submetida à setorectomia de mama esquerda há um ano e meio, onde o exame físico apresentava massa palpável e regular com 5x6cm e com diagnóstico histopatológico de tumor filóide benigno com realização de setorectomia mamária com incisão periareolar. Resultados: retorna com exame físico apresentando massa palpável bem definida ocupando todo quadrante superior de mama esquerda de 4,5x2,0cm. Sinais de envolvimento cutâneo ou linfonodos palpáveis não foram evidenciados. Durante a investigação diagnóstica, a paciente foi submetida a mamografia e ultrassom. Em virtude da extensão das lesões foi realizada mastectomia preservadora de pele com colocação de prótese e sem dissecção axilar. As margens cirúrgicas estavam livres de tumor. A macroscopia evidenciou lesão de 4,5x 3,0cm e o espécime cirúrgico confirmou o diagnóstico de tumor filóide maligno. Comentários: em nosso estudo, a transformação maligna ocorreu um ano após a cirurgia, resultados de casos com história de fibroadenoma ou tumor filóide benigno são significativamente melhores que aqueles casos sem história prévia de tumor benigno, mas pacientes com tumor filóide maligno que exibem rápido crescimento em 6 meses necessitam de tratamento mais agressivo

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adrienne Pratti Lucarelli, Irmandade da Santa Casa de São Paulo. Departamento de Obstetrícia e Ginecologia

Doutora e médica assistente do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Irmandade da Santa Casa de São Paulo, São Paulo

Maria Marta Martins, Irmandade da Santa Casa de São Paulo. Departamento de Obstetrícia e Ginecologia

Doutora e médica assistente do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Irmandade da Santa Casa de São Paulo, São Paulo

Maria Antonieta Longo Galvão, Irmandade da Santa Casa de São Paulo. Departamento de Anatomia Patológica

Doutora e médica assistente do Departamento de Anatomia Patológica da Irmandade da Santa Casa de São Paulo, São Paulo

José Mendes Aldrighi, Irmandade da Santa Casa de São Paulo. Departamento de Obstetrícia e Ginecologia

Doutor e professor titular do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Irmandade da Santa Casa de São Paulo, São Paulo

Downloads

Publicado

2015-12-20

Como Citar

1.
Lucarelli AP, Martins MM, Galvão MAL, Aldrighi JM. Transformação de tumor filóide benigno em maligno. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 20 de dezembro de 2015 [citado 15 de agosto de 2022];48(6):628-33. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/114960

Edição

Seção

Relato de Caso
Bookmark and Share