Tempo de permanência do dispositivo venoso periférico, in situ, relacionado ao cuidado de enfermagem, em pacientes hospitalizados

Autores

  • Renata Cristina de C. Pereira
  • Maria Lúcia Zanetti Departamento de Enfermagem Geral e Especializada. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo
  • Kátia P. Ribeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v34i1p79-84

Palavras-chave:

Infusões Endovenosas, complicações. Cuidados de Enfermagem.

Resumo

O desenvolvimento tecnológico da terapia intravenosa impõe ao enfermeiro competência técnica e científica. Este estudo descritivo teve como objetivo relacionar o tempo de permanência in situ dos dispositivos venosos, periféricos com o cuidado de enfermagem. Os dados obtidos apontam que, em 50% das punções venosas, com tempo de permanência inferior a 24 h, o grau de cuidado de enfermagem foi insatisfatório, tendo 9,4 % delas permanecido in situ por um período superior a 72 h. O tempo médio de permanência do dispositivo venoso periférico, in situ foi de 29,2 h, o que demonstra necessidade de intensificar estudos visando à qualificação do cuidado de enfermagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Cristina de C. Pereira

Aluna do sétimo semestre de graduação, bolsista do Programa Especial de Treinamento – Capes;

Maria Lúcia Zanetti, Departamento de Enfermagem Geral e Especializada. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo

Orientadora do projeto, Docente do Departamento de Enfermagem Geral e Especializada. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Kátia P. Ribeiro

Enfermeira, Bolsista de Apoio Técnico.Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico  - CNPq.

Downloads

Publicado

2001-03-30

Como Citar

1.
Pereira RC de C, Zanetti ML, Ribeiro KP. Tempo de permanência do dispositivo venoso periférico, in situ, relacionado ao cuidado de enfermagem, em pacientes hospitalizados. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de março de 2001 [citado 25 de fevereiro de 2024];34(1):79-84. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/1195

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)