Perfil clínico-epidemiológico, critérios diagnósticos e tratamento de pacientes com leucemia de células pilosas no Estado de Pernambuco: análise de 50 casos consecutivos em 12 anos

Autores

  • Amanda V. Galindo
  • Ana Claudia S. Torquato
  • Paula C. A. Leitão Universidade de Pernambuco. Faculdade de Ciências Médicas
  • Clívia M. B. S. Galindo
  • Cíntia G. F. Machado Universidade de Pernambuco. Faculdade de Ciências Médicas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v49i5p435-439

Palavras-chave:

Leucemia. Leucemia de Células Pilosas. Antígenos CD11

Resumo

Modelo do estudo: Série de casos. Importância do problema: Esse estudo objetiva descrever o perfil clínico-epidemiológico, critérios diagnósticos e tratamento de pacientes com leucemia de células pilosas (HCL - Hairy-cell leucemia,) num serviço de referência em hematologia no Estado de Pernambuco, pois a HCL é uma condição pouco frequente no Estado e quando suspeitada é encaminha ao serviço de referência no Estado que é a Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco (HEMOPE) – Recife/PE, logo um estudo sobre a HCL permitirá elaboração de protocolos de investigação sobre a clínica, diagnóstico precoce e terapêutico de acordo com as características clínicas-epidemiológicas e laboratoriais dos pacientes da região, promovendo uma melhor assistência. Comentários: Foi realizado estudo retrospectivo, descritivo, tipo série de casos de todos os pacientes com HCL atendidos no HEMOPE de jan/2002 a abr/2014. Foram analisados 50 casos. A média de idade foi 54,3±12,3 (16% mulheres e 84% homens). Os sinais/sintomas presentes foram tontura, hemorragias, astenia, anorexia, sudorese noturna, infecção recorrente, esplenomegalia, hepatomegalia e adenomegalia. Observou-se macrocitose (22,0%), anemia (88,0%) e plaquetopenia (98,0%). Nos critérios diagnósticos, houve tricoleucócitos no sangue periférico em todos e a reação de fosfatase tártaro-resistente foi positiva em 81,8% dos casos. A biopsia de medula óssea revelou a infiltração de tricoleucócitos em todos e fibrose reticulínica em 92,0% pacientes. No imunofenotipagem, foi constada: CD11 em 57,1%, CD25 em 89,8%, CD103 em 77,5%, FMC7 81,6%, Kappa em 24,5% e lambda em 18,3% dos pacientes. Como tratamento inicial, foi realizado esplenectomia + interferon (4%), esplenectomia (4%), interferon (35%) e cladribina (58%)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda V. Galindo

Médica pela Faculdade de Ciências Médicas de Pernambuco da Universidade de Pernambuco

Ana Claudia S. Torquato

Médica pela Faculdade de Ciências Médicas de Pernambuco da Universidade de Pernambuco

Paula C. A. Leitão, Universidade de Pernambuco. Faculdade de Ciências Médicas

Acadêmica de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas de Pernambuco da Universidade de Pernambuco

Clívia M. B. S. Galindo

Médica pela Faculdade de Ciências Médicas de Pernambuco da Universidade de Pernambuco

Cíntia G. F. Machado, Universidade de Pernambuco. Faculdade de Ciências Médicas

Professor adjunto da Faculdade de Ciências Médicas de Pernambuco da Universidade de Pernambuco – FCM/UPE. Médica hematologista e pesquisadora estatutária da Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco – HEMOPE

Downloads

Publicado

2016-11-30

Como Citar

1.
Galindo AV, Torquato ACS, Leitão PCA, Galindo CMBS, Machado CGF. Perfil clínico-epidemiológico, critérios diagnósticos e tratamento de pacientes com leucemia de células pilosas no Estado de Pernambuco: análise de 50 casos consecutivos em 12 anos. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de novembro de 2016 [citado 5 de dezembro de 2022];49(5):435-9. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/125604

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share